5 Passos para ser mais organizado

Em 28.10.2017   Arquivado em Organização

O fim do ano já chegou e 2018 já está nos bastidores, se preparando para a entrada gloriosa.

Tá todo mundo perguntando se vai te planner para o próximo ano aqui no blog e quando vão ao ar. Já falei algumas vezes sobre isso, mas não custa repetir, né? Com certeza haverá planner! E eu espero (e tenho me planejado para) que estejam prontos e aqui no blog na primeira quinzena de dezembro. Fica de olho por aqui e nas redes sociais do blog (instagram, facebook e twitter) pois com certeza darei todos os recados por lá! 🙂

Junto com o ano novo e toda a renovação que ele nos trás, sempre temos as nossas metas pessoais, profissionais e acadêmicas para colocar em prática. Talvez 2017 não esteja sendo exatamente como você planejou lá no fim de 2016 e provavelmente o motivo para que isso esteja acontecendo seja muito simples: você não se organizou suficientemente bem para conseguir colocar os planos em prática.

Organização está muito além de estabelecer uma rotina e tentar seguí-la à risca. Tem muito mais a ver com focar nos objetivos e planejar o melhor caminho para alcançá-los. Separei algumas dicas bem legais para que possamos fazer de 2017 o ano em que riscaremos todas as metas da nossa lista! E é claro que já podemos começar a colocar em prática agora mesmo.

Programe o seu dia, a semana e o mês

Para lembrarmos de todos os compromissos, devemos agendá-los. Não importa se você usa o celular, tablet, agenda, planner, bloco de notas, caderninho ou qualquer outro método que preferir. É extremamente importante planejar o seu tempo e anotar todos os compromissos e tarefas que tem ao longo do dia. Além disso, também é essencial ter uma visibilidade da semana toda e do mês, para se programar para os compromissos que tem pela frente e não se sobrecarregar de coisas a serem feitas. Comece agora mesmo fazendo sua programação desse mês, depois para a próxima semana e então anote todos os compromissos e coisas que precisa fazer para hoje!

Estabeleça prioridades

O que realmente precisa ser feito hoje e não pode ser adiado? Talvez você precise pagar uma conta que está vencendo, responder um e-mail importante, ir ao supermercado, hidratar o cabelo… Não importa o que seja, da tarefa mais importante até a mais trivial: saiba o que é mais urgente e execute a lista de tarefas por ordem de prioridade. Caso contrário, você pode acabar se enrolando ou tendo algum imprevisto e o que realmente precisava ser feito hoje acaba ficando para amanhã.

Não se sobrecarregue

Encher a sua lista de tarefas pode ser exaustivo e até perigoso. Se você tentar fazer todas as coisas de uma única vez, vai se estressar, corre o risco de não conseguir cumprir e com certeza vai se desmotivar. Levar uma vida organizada não acontece do dia para a noite e como tudo na vida, você precisa começar aos poucos e ir se habituando. Não adianta nada fazer mil e uma coisas hoje para acordar amanhã e não fazer nada do que precisa ser feito por estar estressado com uma rotina muito rígida e carregada.

Se dê uma recompensa

Nosso cérebro tende a aprender um novo comportamento com muito mais facilidade quando é condicionado a fazer isso. Estímulos positivos, como recompensas, são extremamente funcionais para transformarmos ações em hábitos. Sempre que conseguir cumprir suas tarefas no prazo que estabeleceu, presenteie-se. Pode ser um chocolate, um café com uma pessoa querida, uma visita a um site que gosta… Pense em pequenas coisas que gosta de fazer mas que muitas vezes não consegue por causa da correria. Com certeza a organização vai lhe dar vários momentos de folga.

Seja flexível

É claro que se organizar é importante e é a única forma de levar uma vida mais leve – imagina só como seria estar com o trabalho da faculdade (ou o relatório que o seu chefe pediu) pronto no prazo, sem precisar passar a noite acordado trabalhando e sofrendo com o estresse de imaginar que não vai conseguir terminar a tempo? Mas é ainda mais importante saber quando a organização está se tornando sua maior inimiga. Não adianta se cercar de compromissos e listas de coisas para fazer se não for sobrar aquele tempinho para a recompensa (do qual falamos no item anterior). Pior ainda se aparecer alguma coisa diferente para fazer – como aquela amiga que não mora mais na cidade te ligar para almoçarem juntos – e você recusar por causa do planejamento.


E para começar a colocar as dicas em prática, que tal usar os plannes aqui do blog? Ano passado fiz um post com todos os planners desse ano, em três modelos, e ainda planner semanal e anual. Se você ainda não conhece, vale muito a pena conferir. Corre lá pra ver e não esquece de me contar o que achou!

Clique aqui para ser direcionado para o post com os planners de 2017

E sabe o que também é muito importante? Organização financeira! Ainda quero fazer um post totalmente dedicado a isso, mas enquanto ele não chega, vou deixar uma dica super legal pra vocês economizarem!

Sempre que forem fazer compras online pesquisem antes por cupons de desconto. Eles são maravilhosos e sempre salvam uma graninha. Tem um site muito legal que tem cupons para todas as maiores lojas online que você conhece (e pras que você não conhece também). É o Cupom.org, lá você pode buscar pela loja que você mais gosta ou navegar e ficar de olho nos cupons de destaque. Dá uma olhada e depois me conta o que achou! *-*

Espero muito que vocês tenham gostado e que essas dicas os ajudem a finalmente conquistar a organização dos sonhos. Logo logo os planners novos estarão aqui no blog, então fiquem ligados!

Esse post foi patrocinado pelo site Cupom.org. Todo o seu conteúdo foi criado por mim e expressam o meu ponto de vista, assim como todos os outros posts do blog.

Redken Curvaceous – No Foam (Shampoo / Co-wash) e Ringlet (Finalizador / Definidor de Cachos)

Em 09.10.2017   Arquivado em Beleza, Cabelos, Compras e Recebidos

Já tem um tempinho que recebi uma caixa cheia de coisas MARA (para a pele e para os cabelos) lá da Kutiz Beauté. Dentro da caixinha estavam esses dois produtos da linha Curvaceous, da Redken: o No Foam, que é um desses produtos maravilhosos que a gente usa para lavar o cabelo e já condiciona junto (o famoso co-wash) e o Ringlet, um finalizador para definir os cachos que deixa o cabelo super leve, definido e macio.

Já usei os dois até acabar (!) e agora que tenho muito conhecimento de causa vim compartilhar com vocês o que eu achei deles e como eles funcionaram no meu cabelitcho!

Redken Curvaceous No Foam

O No Foam, como o nome já diz, é um “shampoo” que não faz espuma (“no” = não / “foam” = espuma). Não quero confundir ninguém, mas na verdade ele não é bem um shampoo. É um creme, como se fosse um condicionador, mas a gente usa para lavar o cabelo, sabe? O tão famoso co-wash.

O co-wash é uma técnica para lavar os cabelos que dispensa o uso de shampoo, usando apenas o condicionador. Os sulfatos, encontrados na grande maioria dos shampoos, são agentes responsáveis pela limpeza e pela espuma. Porém, além de tirar a sujeira dos fios, tiram também os óleos naturais e os lipídios do cabelo. [Fonte: Beleza e Saúde]

Eu nunca tinha usado nenhum produto desse tipo no cabelo e preciso dizer que ele me surpreendeu muito! Quem nunca fez co-wash pode até ficar um pouco receoso e até duvidoso de que o um creme vá lavar o cabelo – pelo menos eu fiquei. Mas a limpeza é tão eficiente quanto a de um shampoo normal, que enche a cabeça de espuma. A única diferença – que é o maior bônus – é que não resseca em nada os fios e já os condiciona. É muita praticidade, mas além disso é um ótimo tratamento para incluir na rotina capilar pelo menos uma vez por semana, em uma das lavagens. Houveram várias lavagens seguidas que fiz só com ele, sem usar nenhum outro shampoo entre elas e o meu cabelo ficou muito limpo em todas as vezes.

Depois que o meu acabou usei o mesmo tipo de produto de outras marcas (o light-poo da Élseve é um produto similar, pra vocês poderem entender melhor) e gostei bastante. Mas vou assumir que o Curvaceous foi o meu favorito e eu já quero comprar outro – só não comprei ainda porque infelizmente o preço dele não é tão amigo.

Ele vem com 500ml e por isso rende muito! A embalagem é super prática e vem com um pump para retirar o produto. Cerca de cinco pumps são suficientes para lavar o meu cabelo (que é bem volumoso, mas não é muito).

O No Foam é liberado para as técnicas Low e No-Poo.

Ele está a venda na Kutiz pelo preço de R$119,90 e o frete é grátis.

Redken Curvaceous Ringlet Modelador

O Ringlet é um leave-in, para finalizar e definir os cachos. Tem uma textura extremamente leve, não pesa em nada o cabelo, até porque, só um pouquinho dele já espalha super bem nos fios e os deixa super macios, reduz o frizz e define os cachos e ondas.

É um dos finalizadores mais leves que já usei e que deu um resultado muito bom nos meus fios. O jeito que ele espalha pelo cabelo é tão gostoso e surpreendente! Ele ainda desemparaça muito bem os fios, amacia… Talvez o único ponto negativo seja a quantidade de produto que vem. São apenas 180 ml e por isso ele acaba não tendo o melhor custo benefício. Mas a qualidade do produto é ótima. E ele também rende mais do que os cremes de pentear “convencionais”. Eu uso metade da quantidade que usaria de outro produto, pois ele é eficiente e cumpre muito bem o papel de finalizar e modelar os cachos com apenas um pouquinho de produto.

Eu gostei do Ringlet, mas ele não é o melhor produto que eu já usei para finalizar os cachos, para que eu sinta vontade de comprar outro frasco, já que por ser um produto importado de uma marca conceituada, como a Redken, ele também não tem o preço mais amigo de todos. Ainda mais se tratando de um leave-in/finalizador, que é o produto que eu mais uso (em quantidade) nos cabelos. Mas ele também me surpreendeu, especialmente por ter uma textura tão fluida e mesmo assim definir e segurar tão bem os meus cachos. Com certeza para esse tipo de textura ele é o produto que melhor funcionou no meu cabelo. Imagino que cabelos com cachos mais abertos ou ondulados tenham um resultado ainda melhor.

Conversando com uma colega do escritório onde trabalho, ela me falou que também usa o Curvaceous Ringlet. O cabelo dela é quase liso, com ondas esparsas e no cabelo dela dá uma super definição nas ondas!

Alem disso, o cheirinho que ele deixa nos cabelos é tão gostoso e fica por um tempãp. Perfume é uma coisa muito particular, então não dá estabelecer o que é bom ou não é, vai do gosto de cada um. Pra mim o da linha Curvaceous é uma delícia!

O Ringlet também é liberado para as técnicas Low e No-Poo.

Ele está a venda na Kutiz por R$97,90.


Eu amei a experiência com esses dois produtos da Redken, que eu nunca tinha usado e agora já considero pakas! haha
Fiquei muito curiosa para testar os outros produtos da marca, especialmente dessa linha que foi desenvolvida com tanto cuidado e carinho para cabelos cacheados.

Toda a linha Curvaceous está disponível lá na Kutiz Beauté e também tem as outras linhas de produtos da Redken, para todos os tipos de cabelos. Se joga lá no site e aproveita que tem produtos para todo gosto com precinhos MARA!

Me contem nos comentários se já usaram esses produtos, ou algum outro similar, se já conheciam a marca. Vamos conversar!

Esse post não é um publieditorial. Recebi os produtos para testar e todas as minhas impressões são baseadas na minha experiência e opinião pessoal ao longo do uso.

Minhas últimas leituras – 6 livros para ler nas férias

Em 09.07.2017   Arquivado em Destaque, Livros

Antes de começar a falar sobre os livros que tenho lido, quero muito agradecer a vocês. Primeiro porque mesmo com o blog tão desatualizado vocês continuam visitando por aqui, deixando comentários, me mandando mensagens… Então ontem eu postei uma foto no instagram com uma listinha de possíveis posts pro blog e pedi a ajuda de vocês para saber o que gostariam de ver por aqui. Várias pessoainhas lindas responderam. Me senti muito importante e feliz. Muito obrigada, mesmo! Quero ter vocês sempre por perto! (PS: já estou aprontando o post que mais teve votos! ❤❤❤)

Estou preparando vários posts com muito amor para vocês e resolvi começar com este aqui, compartilhando as minhas últimas leituras. Afinal, as férias da escola e faculdade estão começando e fica mais fácil encaixar uma leitura na listinha de coisas pra fazer, com o tempinho dos estudos livre, né?

Eu não tenho lido muita coisa, não. Meu ritmo andou bem lento nos últimos tempos. Mas ainda assim tenho umas dicas bem legais pra dar pra vocês. Estão bem ecléticas e tem likvros para vários tipos de gosto, espero que aproveitem alguma indicação.

Caixa de Pássaros – Josh Malerman

Sinopse: Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora – uma decisão errada e eles morrerão.

Esse livro com certeza foi uma grande surpresa. Eu acabei o pegando para ler por estar em evidência e não sabia muito bem o que esperar nem do que se tratava. No fim acabei com um livro impossível de largar de lado, cheio de suspense e mistério, muita agonia e diferente de tudo o que eu já tinha lido. Devorei ele em pouquíssimo tempo. Vi por aí que ele tem um filme e eu ainda não vi, mas fiquei bem curiosa para saber como colocaram os elementos do livro na tela (quem já leu ou ler vai entender o que eu quero dizer). Recomendo com certeza!

Uma Curva no Tempo – Dani Atkins

Sinopse: A noite do acidente mudou tudo… Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim… Ou funciona? A noite do acidente foi uma grande sorte… Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?

Eu estava vendo esse livro sempre muito bem comentado nas livrarias online e decidi ler. É um romance muito gostoso, mas ainda assim cheio de apertos no coração. A Rachel tem um sofrimento tão arraigado, se impede de ser feliz o tempo todo e é quase impossível não sofrer junto com ela. No fim, o livro tem uma super reviravolta que eu não esperava e eu acabei chorando litros. é uma história triste, meio surreal, que eu adorei e acho que você também pode gostar. O livro é curtinho e não demora para chegar ao fim.

Nosferatu – Joe Hill

Sinopse: Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem. Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor. E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca… e acaba encontrando Charlie.

Já faz um tempinho que li esse super livro, mas como nunca falei dele aqui no blog, decidi incluir na lista. Que livro, viu? Mas tem um público bem específico. Para saber se você faz parte dele só precisa responder uma pergunta: você é fã de Stephen King? Se a resposta for sim, se joga! O Hill é filho do grande mestre e escreveu esse terrorzão inundado de referências do pai. Eu amei tanto, em um nível tão alto! Aliás, falando dele agora me deu muita vontade de reler. Se você gosta do gênero é um forte candidato a amar essa obra de arte!

A Revolução dos Bichos – Goeorge Orwell

Sinopse: ‘A Revolução dos Bichos’ é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos.

Passei tanto tempo ouvindo falar sobre esse livro que não tinha como fugir da leitura dele. Ainda bem, viu? Que livro! Não se engane pelo clima de fábula que os animaizinhos falantes e pensantes podem dar à narrativa. No fim a gente quas eesquece desse detalhe impossível e acaba se indignando, se revoltando e odiando, como se fossem todos humanos. É uma leitura muito densa, por toda a reflexão e carga histórica que carrega. Quando cheguei ao fim eu já estava tendo pesadelos. Mais uma vez: que livro!!!

A Casa Assombrada – John Boyne

Sinopse: Eliza Caine tem 21 anos e acaba de perder o pai. Totalmente sozinha e sem dinheiro suficiente para pagar o aluguel na cidade, ela se depara com o anúncio em busca uma governanta para se dedicar aos cuidados e à educação das crianças de Gaudlin Hall, uma propriedade no condado de Norfolk. Assim, ela larga o emprego de professora numa escola para meninas e ruma para o interior. Chegando a Gaudlin Hall, Eliza se surpreende ao encontrar apenas Isabella, uma menina que parece inteligente demais para sua idade, e Eustace, seu adorável irmão de oito anos. Os pais das crianças não estão lá. Não se veem criados. A governanta recém-contratada busca informações com as pessoas do vilarejo, mas todos a evitam. E então coisas realmente assustadoras começam a acontecer…

Eu sou super fã do best seller O menino do pijama listrado, do mesmo autor. A Casa Assombrada é um livro com uma proposta bem diferente (comparado ao best seller) mas que eu gostei muito. Adoro terror e esse é bem clássico: se passa em uma casa assombrada, com uma governanta e umas crianças. Não é o melhor livro do gênero e eu achei que teve umas partes bem arrastadas, mas ainda asism gostei.

1984 – Goeorge Orwell

Sinopse: Winston vive aprisionado em uma sociedade completamente dominada pelo Estado. Essa submissão ao poder, é relatada, inclusive, na rotina desse personagem, que trabalha com a falsificação de registos históricos, a fim de satisfazer os interesses presentes. Winston, contudo, não aceita bem essa realidade, que se disfarça de democracia, e vive questionando a opressão que o Partido e o Grande Irmão exercem sob a sociedade. A inspiração do livro vem dos regimes totalitários das décadas de 30 e 40 e, é assim, sob a ótica da ficção, que o autor faz com que seus leitores reflitam sobre o sistema de controle, que depois de tanto tempo ainda é muito questionado.

Depois de ler A Revolução do Bichos fui atrás do outro super clássico das distopias, do mesmo autor: 1984. Nesse momento eu já estava cheia de expectativas, Cheia de ideias a respeito da história. Não em decepcionei e me decepcionei ao mesmo tempo. É que o livro tem tanta tensão, é tão absurdo e monstruoso. E dessa vez não tem nenhuma fantasia envolvida para nos lembrar que não passa de uma ficção. São tantas as semelhanças com a realidade que a gente acaba com medo do tempo passar e tudo se tornar real. É um livro muito mais pesado do que A Revolução e me deu muitos mais pesadelos. Mas pra quem gosta de cenários distópicos (ou nem tanto!) vale a pena dar uma lida nesse que é um dos maiores clássicos do gênero.


Ultimamente eu não tenho lido muito, mas esse post me fez me arrepender disso. Todos esses livros que recomendei aqui me trouxeram tantos bons momentos, tantas novas ideias e reflexões.

Só quem tem o hábito da leitura entende o que o fim de um bom livro representa: um misto de tristeza e felicidade, um turbilhão de emoções e novas vivências. Ler é uma das melhores experiências que podemos ter!

Espero muito que vocês gostem das indicações e possam aproveitar alguma delas como nova leitura. Me conta nos comentários se já leu ou quer ler algum desses livros que indiquei e também me indiquem os últimos livros que vocês leram e gostaram!

Crochê: aprendendo uma nova paixão

Em 17.05.2017   Arquivado em Blog, DIY

Eu tenho estado um pouco (muito, né?) ausente aqui do blog, do canal, do instagram, do facebook e da internet toda. Tenho recebido várias mensagens super fofas de pessoinhas lindas, preocupadas com o que está acontecendo. (Obrigada pelo carinho, gente! ❤)

E a verdade é que eu não sei exatamente o que está acontecendo. Mas sei que é só uma fase, e acho que ela já está passando.

Eu gosto de fazer tudo com muito amor e cuidado. Gosto de fazer as fotos dos posts, escrever os textos, revisar, revisar, revisar… E nem sempre a gente se sente bem para conseguir fazer as coisas como gostaríamos, não é?

E aí, hoje eu acordei com vontade de blogar e de desabafar ao mesmo tempo. E tem um assunto que envolve as duas coisas e eu vim mostrar pra vocês: o meu crochê!

Eu não tenho me sentido exatamente bem nos últimos tempos. Tô mais quieta do que eu sou – e eu já sou bem quieta, então eu estou quase apática!; ando muito reflexiva, pensando muito em coisas não tão legais assim… Mas aí, em um dia procurando umas inspirações para a organização aqui do apê eu encontrei umas coisas bem lindas feitas em crochê.

Continuei pesquisando mais sobre o assunto e me apaixonando a cada minuto mais por essa arte que é tão linda, tão antiga e que agora é super tendência. E aí no meio de todas as minhas pesquisas, acabei encontrando o canal da Nat Petry, onde ela ensina algumas técnicas bem explicadinhas, para que até pessoas que nunca fizeram crochê antes possam aprender.

Começando do começo

Eu cresci vendo minha mãe fazendo crochê e até a acompanhei a alguns workshops, quando eu era criança. Mas naquela época eu não achava lá muito legal. Eu tinha umas agulhas de tricô, que minha tia tinha me dado, e sabia fazer um único tipo de ponto com elas. Então eu seguia minha vida fazendo um bilhão de cachecóis para as minhas barbies e não via a mínima graça em crochê.

Aí eu cresci, aprendi a fazer bordado, com ponto cruz, ponto russo, ponto reto… Resumindo: eu sempre adorei fazer esses trabalhos manuais “de avó”, mas nunca crochê. E a minha desculpa pra isso é que era muito complicado.

E aí, em pleno 2017 eu encontrei uns vídeos e decidi que amo crochê. Que pessoa complicada eu sou, né?

Assisti o vídeo da Nat, ensinando a fazer um cesto quadrado em maxi crochê umas mil vezes, até que achei que tava na hora de colocar tudo em prática. Achei uma loja MARA aqui em São José dos Campos (a Bastex), que fica até que perto da minha casa e tinha todo tipo de fio de malha (que é o material que a Nat usa no trabalho dela) e comprei uns rolos.

O meu primeiro trabalho

Peguei os meus novelos de fio de malha, abri o youtube e comecei a tentar. Um pouco cética, é verdade. Conforme o trabalho foi seguindo, eu ia me deslumbrando com o resultado. Afinal, tava saindo alguma coisa!

No fim de tudo, saiu esse cesto aí, super lindo. Morri de orgulho! E sabe o que é mais legal? Eu postei lá no instagram a foto do cesto e falei que tinha feito seguindo vídeo da Nat. No dia seguinte, uma amiga do Arthur me mandou mensagem falando que eu a tinha inspirado a tentar também, ela foi lá e fez e ficou lindo! *-*

É claro que o modelo mais lindo do mundo todo e que eu tenho a sorte de ter à minha disposição não poderia ficar de fora né? Se preparem pra morrer de fofura porque eu fiz umas mil fotos dele! Esse cesto, como muitos pensaram por causa dessas fotos, não virou caminha do Melman, mas foi lá pro armário do Arthur para guardar meias – só que é bem mais legal ver fotos do Melman do que de meias, né?!

E depois ainda teve mais um monte de coisa

Depois que fiz o primeiro cesto, eu não quis mais parar. Fiz um cachepôzinho, cestinho para colocar os brinquedos do Melman, fiz um cestinho para a minha mãe, enquanto eu estava indo para Sorocaba, onde a gente ia se encontrar… Fiz várias coisas, tudo com a técnica da Nat, de crochetar sem agulhas, usando os dedos como instrumento.

Comprando Agulhas

Crochê vai, crochê vem, meu dedo indicador, da mão direita (que é o que eu mais usava enquanto tava fazendo os crochês) começou a ficar inchado e dolorido, por causa da minha tendinite (a idade sempre chega, né? haha). E aí eu resolvi comprar uma agulha. Como eu adorei a técnica de maxi crochê da Nat, eu queria uma agulha beeem grossa. A mais grossa que achei foi a nº 12 e comprei ela e mais duas menores: a 10 e a 8.

Consegui fazer a técnica que a Nat ensina, com os 3 fios ao mesmo tempo, com a nº 12 normalmente. E adorei o resultado: o meu dedo ficou bem e o cesto ficou mais firme.

Uso as outras agulhas menores para trabalhos onde eu só uso um fio, que tenho aprendido com a Mari, no canal da EuroRoma, que é uma marca de fios que tem uma sessão só de fios de malha lá no canal, onde dá para aprender desde o comecinho. E também conheci o canal Pé Inocente, onde ensina várias coisinhas fofas também.

E eu não parei mais de crochetar

Ultimamente tenho feito muito crochê. É como se fosse uma terapia pra mim. Coloco alguma música que eu adoro, pego os fios e as agulhas e começo a fazer vários experimentos com todas as técnicas e pontos que eu vou aprendendo no youtube. No fim sempre sai alguma coisa e eu adoro essa sensação!

Acreditam que eu já tive até encomendas? E as pessoas adoraram! Já criei, na minha mente, até a minha marca! haha
Já tem alguns cestinhos espalhados aqui pela casa, organizando o armário de roupas, as coisinhas no banheiro, os cosméticos… Tem porta copos, descanso de panela e até um tapete começado.


Fazer crochê tem sido uma ótima forma de esquecer os problemas, que muitas vezes nem existem e eu crio só na minha cabeça. E isso vale para todos os tipos de arte e trabalhos manuais. Tenho certeza que você que está lendo também tem paixão por alguma técnica e às vezes acha que não consegue aprender. Mas a gente pode tudo, sabia? E o que não falta é gente linda ensinando pela internet afora.

Me conta o que você achou do meu novo hobby, o que você faz ou gostaria de fazer… Conversa comigo, eu adoro!

Instamonth – Fevereiro e Março 2017

Em 01.04.2017   Arquivado em Instamonth

Eu nem preciso dizer que a gente tá em Abril e o ano tá voando em velocidade supersônica, né? Todos já perceberam.

Mas eu preciso dizer que sumi, sim, tanto aqui do blog quanto das redes sociais, mas eu já estou de volta. Meu muito obrigada a todas as pessoas que separaram um tempinho das suas vidas para me mandar mensagem dizendo que sente minha falta. Eu também sinto falta de vocês, viu?! ❤

Tive vário contratempos nesses dois últimos meses, além da mudança (que jpa vou falar mais detalhadamente), mas eu prometo que estou cheia de planos bem legais aqui pro blog e pro canal, e vou começar a trabalhar para colocá-los em prática!

O que teve em Fevereiro e em Março?

Recebi essa caixinha recheada de cremes para o cabelo, da linha Cachos Online da Inoar, estou testando tudinho desde então e amando muito! Pra minha tristeza alguns já estão no finzinho. Ainda vou fazer um post bem completo para contar tudo!

No finzinho de janeiro decidimos que enfim íamos nos mudar do apartamento onde estávamos e não estávamos satisfeitos. Quando tomamos essa decisão, achei que ainda ia demorar alguns meses para a mudança de fato acontecer, mas paras a minha grande alegria as coisas começaram a acontecer de forma extremamente rápida, achamos um apartamento que amamos e antes de fevereiro acabar já nos mudamos!

Mostrei o apartamento novo, ainda quase vazio, em vídeo (siiim! O canal tá de volta, ainda engatinhando, mas melhor que nada, né?) e assim que estiver tudo pronto por aqui eu vou fazer um vídeo novo! 🙂

Em janeiro o Melman fez uma cirurgia, pois teve que retirar um dos olhos (por complicações no pós internação dele). No começo foi bem difícil aceitar e logo que ele chegou em casa estava com uma cicatriz enorme, foi assustador. Mas hoje ele já está perfeito e lindo demais, tudo de novo. No fim das contas aceitar a cirurgia foi a melhor decisão que tomamos. Ele está vivendo a vidinha dele normalmente. *-*

Aqui no apê novo eu tenho as janelas ideiais para fazer minha hortinha de temperos. O único problema era o risco de quedas dos cachepôs, já que o apartamento está em um andar alto. Mas tive a brilhante ideia de comprar uma barra extensível para cortina (dessas que coloca no box do banheiro) e agora posso colocar os vasos na janela eles não tem perigo de cair! Agora só preciso dos vasos, pois até agora só tenho esse de cebolinha rss…

Fazia um tempão que eu não fazia nhoque e eeu fiz esses dias, porque como eu ainda estou sem forno (só tenho o cooktop hauaha – mostrei no vídeo do tour) estou revisitando minhas receitas que podem ser feitas só na boca do fogão normalmente. Esse nhoque é uma receita minha (A chef! hauauah), que vai pouca farinha e fica bem leve e macio. Uma delícia! Quem sabe um dia eu compartilho esse segredo com vocês! haha 😉

Assinei a Box Petiko para o Melman e a primeira caixinha dele chegou esses dias, recheada de lindezas de páscoa. Mas o Melman adorou mesmo um mordedor de jacaré que veio e ele ficou com esse brinquedo pra cima e pra baixo pela casa. Eu fiolmei ele abrindo a caixa junto comigo e também me filmei mostrando as coisinhas. Mas acabei apagando sem querer da câmera e tenho que fazer de novo! Mas pra quem quiser conhecer melhor, pode acessar o site, que mostra todas as edições que já foram enviadas. E se quiser assinar e ganhar um item extra, pode usar o cupom de desconto do Melman que é o B41C2E – com esse cupom vocês ganham um item extra na primeira caixa e o Melman ganha 50% de desconto na próxima caixa deles – e todos os assinantes ganham um cupom para dar para os amigos que funciona do mesmo jeito! 🙂


Então é isso, gente! O começo do ano foi bem corrido na vida e bem parado aqui no blog. Mas agora vamos agitar tudo!

Se você gostou desse post e ainda não me segue lá no instagram, segue lá: @cami_mrtns 🙂

Página 1 de 3712345... 37Próximo