Categoria "DIY"

Crochê: aprendendo uma nova paixão

Em 17.05.2017   Arquivado em Blog, Destaque, DIY

Eu tenho estado um pouco (muito, né?) ausente aqui do blog, do canal, do instagram, do facebook e da internet toda. Tenho recebido várias mensagens super fofas de pessoinhas lindas, preocupadas com o que está acontecendo. (Obrigada pelo carinho, gente! ❤)

E a verdade é que eu não sei exatamente o que está acontecendo. Mas sei que é só uma fase, e acho que ela já está passando.

Eu gosto de fazer tudo com muito amor e cuidado. Gosto de fazer as fotos dos posts, escrever os textos, revisar, revisar, revisar… E nem sempre a gente se sente bem para conseguir fazer as coisas como gostaríamos, não é?

E aí, hoje eu acordei com vontade de blogar e de desabafar ao mesmo tempo. E tem um assunto que envolve as duas coisas e eu vim mostrar pra vocês: o meu crochê!

Eu não tenho me sentido exatamente bem nos últimos tempos. Tô mais quieta do que eu sou – e eu já sou bem quieta, então eu estou quase apática!; ando muito reflexiva, pensando muito em coisas não tão legais assim… Mas aí, em um dia procurando umas inspirações para a organização aqui do apê eu encontrei umas coisas bem lindas feitas em crochê.

Continuei pesquisando mais sobre o assunto e me apaixonando a cada minuto mais por essa arte que é tão linda, tão antiga e que agora é super tendência. E aí no meio de todas as minhas pesquisas, acabei encontrando o canal da Nat Petry, onde ela ensina algumas técnicas bem explicadinhas, para que até pessoas que nunca fizeram crochê antes possam aprender.

Começando do começo

Eu cresci vendo minha mãe fazendo crochê e até a acompanhei a alguns workshops, quando eu era criança. Mas naquela época eu não achava lá muito legal. Eu tinha umas agulhas de tricô, que minha tia tinha me dado, e sabia fazer um único tipo de ponto com elas. Então eu seguia minha vida fazendo um bilhão de cachecóis para as minhas barbies e não via a mínima graça em crochê.

Aí eu cresci, aprendi a fazer bordado, com ponto cruz, ponto russo, ponto reto… Resumindo: eu sempre adorei fazer esses trabalhos manuais “de avó”, mas nunca crochê. E a minha desculpa pra isso é que era muito complicado.

E aí, em pleno 2017 eu encontrei uns vídeos e decidi que amo crochê. Que pessoa complicada eu sou, né?

Assisti o vídeo da Nat, ensinando a fazer um cesto quadrado em maxi crochê umas mil vezes, até que achei que tava na hora de colocar tudo em prática. Achei uma loja MARA aqui em São José dos Campos (a Bastex), que fica até que perto da minha casa e tinha todo tipo de fio de malha (que é o material que a Nat usa no trabalho dela) e comprei uns rolos.

O meu primeiro trabalho

Peguei os meus novelos de fio de malha, abri o youtube e comecei a tentar. Um pouco cética, é verdade. Conforme o trabalho foi seguindo, eu ia me deslumbrando com o resultado. Afinal, tava saindo alguma coisa!

No fim de tudo, saiu esse cesto aí, super lindo. Morri de orgulho! E sabe o que é mais legal? Eu postei lá no instagram a foto do cesto e falei que tinha feito seguindo vídeo da Nat. No dia seguinte, uma amiga do Arthur me mandou mensagem falando que eu a tinha inspirado a tentar também, ela foi lá e fez e ficou lindo! *-*

É claro que o modelo mais lindo do mundo todo e que eu tenho a sorte de ter à minha disposição não poderia ficar de fora né? Se preparem pra morrer de fofura porque eu fiz umas mil fotos dele! Esse cesto, como muitos pensaram por causa dessas fotos, não virou caminha do Melman, mas foi lá pro armário do Arthur para guardar meias – só que é bem mais legal ver fotos do Melman do que de meias, né?!

E depois ainda teve mais um monte de coisa

Depois que fiz o primeiro cesto, eu não quis mais parar. Fiz um cachepôzinho, cestinho para colocar os brinquedos do Melman, fiz um cestinho para a minha mãe, enquanto eu estava indo para Sorocaba, onde a gente ia se encontrar… Fiz várias coisas, tudo com a técnica da Nat, de crochetar sem agulhas, usando os dedos como instrumento.

Comprando Agulhas

Crochê vai, crochê vem, meu dedo indicador, da mão direita (que é o que eu mais usava enquanto tava fazendo os crochês) começou a ficar inchado e dolorido, por causa da minha tendinite (a idade sempre chega, né? haha). E aí eu resolvi comprar uma agulha. Como eu adorei a técnica de maxi crochê da Nat, eu queria uma agulha beeem grossa. A mais grossa que achei foi a nº 12 e comprei ela e mais duas menores: a 10 e a 8.

Consegui fazer a técnica que a Nat ensina, com os 3 fios ao mesmo tempo, com a nº 12 normalmente. E adorei o resultado: o meu dedo ficou bem e o cesto ficou mais firme.

Uso as outras agulhas menores para trabalhos onde eu só uso um fio, que tenho aprendido com a Mari, no canal da EuroRoma, que é uma marca de fios que tem uma sessão só de fios de malha lá no canal, onde dá para aprender desde o comecinho. E também conheci o canal Pé Inocente, onde ensina várias coisinhas fofas também.

E eu não parei mais de crochetar

Ultimamente tenho feito muito crochê. É como se fosse uma terapia pra mim. Coloco alguma música que eu adoro, pego os fios e as agulhas e começo a fazer vários experimentos com todas as técnicas e pontos que eu vou aprendendo no youtube. No fim sempre sai alguma coisa e eu adoro essa sensação!

Acreditam que eu já tive até encomendas? E as pessoas adoraram! Já criei, na minha mente, até a minha marca! haha
Já tem alguns cestinhos espalhados aqui pela casa, organizando o armário de roupas, as coisinhas no banheiro, os cosméticos… Tem porta copos, descanso de panela e até um tapete começado.


Fazer crochê tem sido uma ótima forma de esquecer os problemas, que muitas vezes nem existem e eu crio só na minha cabeça. E isso vale para todos os tipos de arte e trabalhos manuais. Tenho certeza que você que está lendo também tem paixão por alguma técnica e às vezes acha que não consegue aprender. Mas a gente pode tudo, sabia? E o que não falta é gente linda ensinando pela internet afora.

Me conta o que você achou do meu novo hobby, o que você faz ou gostaria de fazer… Conversa comigo, eu adoro!

DIY: Instabox – caixa revestida com fotos

Em 21.02.2017   Arquivado em DIY

Em 2015 surgiu um projeto lindo na internet: o Blog Coisas de Blogueiras, que foi a união e mais de 30 blogueiras em um único blog, cheio de amor, personalidade, estilo e mais amor.

Tive a honra de participar do blog como colaboradora e também na administração, como revisora de posts, junto com a minha querida amiga Babi.

Infelizmente o Coisas de Blogueiras não está mais no ar. Muitas coisas aconteceram e acabamos decidindo dar fim ao projeto. Morro de saudades dele! :'(

Decidi trazer alguns posts que escrevi para lá aqui pro Subexplicado e espero que vocês gostem!

O de hoje é o DIY de uma Instabox (batizada por moi, hauahuah), que nada mais é do que uma caixa revestida com fotos do Instagram, minha rede social favorita. Mas você também pode fazer com qualquer outra foto que quiser.

Material utilizado:

  • 1 caixa de MDF
  • lixa para madeira
  • tinta PVA
  • rolo de espuma para pintura
  • pincel chato
  • cola branca
  • fotos editadas com as imagens desejadas
  • estilete
  • régua
  • um recipiente para colocar a tinta e a cola

Editando as imagens

Como sei que nem todo mundo tem editor de fotos instalado ou sabe como utilizar um, fiz um passo a passo para demonstrar como editar as fotos para esse propósito no PAINT, um editor básico que todo mundo já abriu alguma vez na vida e tem no computador. Se você já sabe como editar as suas fotos, pode pular essa parte.

  1. Se você estiver usando fotos do seu Instagram, salve as fotos que deseja no seu computador. Um ótimo local para fazer isso é o Websta;
  2. Abra o PAINT, clique em redimensionar, escolha “Pixels”, desmarque a opção “Manter taxa de proporção” e coloque as medidas:  1920 na horizontal e 1280 na vertical  e então clique em “OK” (isso porque as imagens salvas do Websta tem 680×680 px e vamos colocar duas na vertical e três na horizontal);
  3. Clique em “Exibir” e então em “Reduzir” para tirar o zoom da imagem e conseguir visualizá-la por inteiro – dessa forma fica bem mais fácil para trabalhar;
  4. Clique em “Início” e em “Colar” e selecione a opção “Colar de”;
  5. Abrirá uma janela onde você deve selecionar o arquivo desejado e clicar em “Abrir”;
  6. O primeiro arquivo será posicionado exatamente onde ele deve ficar, então apenas clique fora dele para fixá-lo.
  7. Clique novamente em “Colar” e selecione a opção “Colar de” e então selecione o segundo arquivo. Ele será posicionado em cima do arquivo anterior, então arraste-o para o local onde deverá ficar. Repita esse processo até posicionar as 6 imagens;
  8. No final você deverá ter imagem como esta, com todos os aquivos posicionados. Então salve-a e mande revelar ou imprima.

Fazendo a Caixa

  • Vamos começar pintando a caixa, então separe a caixa (obviamente), a lixa para madeira (usei a nº 280), tinta PVA (usei preta fosca), o rolinho para pintura, o pincel chato (usei o nº 20) e o recipiente para despejar a tinta (a.k.a. pires hauahuah);
  • Não é necessário lixar a caixa toda, pois o MDF é bem liso. Então lixe apenas as extremidades e junções, que é onde ficam algumas rebarbas;
  • Comece a pintura de toda a superfície do MDF uniformemente utilizando o rolo para pintura (eu usei a a tinta pura, não diluí em água);

  • A parte interna da caixa e tampa também devem ser pintadas;
  • Utilize o pincel para pintar as partes que não são cobertas pelo rolo de espuma;
  • Após a secagem, dê outra demão de tinta (no total, utilizei 3 camadas de tinta para ficar bem coberto);

  • Enquanto a caixa seca, pegue as fotos reveladas, o estilete, a régua e alguma superfície de apoio que possa ser arranhada pelo estilete (usei um retângulo de papel paraná);
  • posicione a foto em cima da superfície e com o auxílio da régua, recorte-a com o estilete;
  • no final, você terá vários quadradinhos que teoricamente terão 5×5 cm, se você revelar as fotos no tamanho padrão de 10×15 cm. Eu disse teoricamente, pois as minhas fotos vieram com tamanho de 10,3×15,4 cm e aí teve um recorte automático da impressora que utilizaram, portanto as fotos do meio ficaram alguns milímetros maior do que as das extremidades. Eu usei desse jeito mesmo, mas você pode fazer um gabarito de 5×5 cm, posicioná-lo sobre a foto e recortá-la com o estilete, assim todas ficarão com o mesmo tamanho, sem variação;

  • Pegue a caixa que já estará seca (como não diluí a tinta, a secagem foi extremamente rápida) e disponha as fotos da maneira que preferir;
  • Comece a colagem, espalhando cola branca em uma quantidade suficiente por toda a superfície da foto;
  • Posicione-a com cuidado na caixa para a colagem não ficar torta;

  • Repita a operação por todas as laterais da caixa. Como usei uma caixa com 25×25 cm, usei 20 fotos no total para estampar as laterais.
  • Pegue a tampa da caixa e disponha as fotos de acordo com a sua preferência (para cobrir toda a tampa foram mais 25 fotos);
  • Inicie a colagem sem retirar as fotos da posição onde as colocou, para evitar que fiquem tortas;

  • Comecei a colagem pela fileira da esquerda;
  • Colei as duas fileiras da esquerda;
  • Então comecei a colar as fotos da direita. A fileira do meio foi a última que colei.

Para finalizar você pode (na verdade deve) cobrir toda a caixa com verniz spray. Infelizmente eu não encontrei verniz spray fosco para a minha caixa, então ela ainda está desprotegida, mas eu continuo na busca! Apesar de opcional (a caixa estará pronta mesmo sem o verniz), essa cobertura é muito importante, pois é ela que vai proteger as fotos para que não desbotem ou manchem, e também vai dar uma fixação extra à elas. Não precisa ser nenhum verniz específico para fotos, você pode comprar um multiuso (como esse).

Custos do material

  • R$6,00 – caixa de MDF 25×25 cm
  • R$4,75 – tinta PVA preta fosca 100ml
  • R$2,00 – lixa para madeira nº280
  • R$5,60 – 8 fotos 10×15 cm
  • R$2,40 – tubo de cola 90g

A lista de materiais acima soma R$20,75. Não levei em conta o pincel nem o rolo de espuma, mas eles custam respectivamente R$2,15 e R$2,80, mas leve em consideração que essas ferramentas você vai usar muitas outras vezes. Também não contabilizei o verniz spray (pois nem tive oportunidade de comprar o meu), mas pesquisei na internet e encontrei entre R$13,00 e R$20,00 – esse também é um material que será utilizado várias outras vezes.

Achei o custo justo, pois já vi várias caixas de papelão em dimensões aproximadas sendo vendidas por preços até maiores em lojas de decoração.

Dá até para incorporá-la na decoração, com outros elementos. Coloquei livros e essa luminária (que eu ensinei a fazer aqui), em uma mesa de canto, ficou um charme.

Espero que tenham gostado e me perdoem pelo post ter ficado um pouquinho grande, mas fiz o possível para deixá-lo bem completo e ilustrativo, para que qualquer pessoa possa fazer a caixa, mesmo que nunca tenha feito nenhum artesanato na vida.

Quem fizer a Instabox posta no Instagram com a hashtag #subexplicado que eu vou adorar ver!

Se tiver alguma dúvida, pode deixar nos comentários que eu respondo. Aproveita pra me contar o que achou. 😀

DIY: Quadro-varal de polaroides

Em 09.01.2017   Arquivado em DIY

Hoje tem post de DIY (Faça você mesmo) e ele tá super fácil e lindo! Vamos fazer um quadro-varal de fotos (Eu amo fazer coisas com fotos!). Também vamos fazer molduras no estilo polaroid pra colocar nas fotos e deixar tudo ainda mais fofo.

É um quadrinho super fofo e você faz do tamanho que preferir, para caber quantas fotos você achar melhor. Também dá pra usar como porta-recados ou lembretes. É muito fácil e fica super fofo na decoração. Vamos começar?

Material utilizado:

  • Papelão
  • Tecido de algodão com a estampa que preferir (usei duas que combinam entre si)
  • Cola branca
  • Tesoura e estilete
  • Fio de algodão encerado
  • Cola quente
  • Lápis
  • Régua
  • Rolo de espuma para pintura

Material para as polaroides:

  • Papel branco (usei colorplus metalizado)
  • Fotos
  • Fita dupla-face
  • Lápis
  • Régua
  • Tesoura e estilete

Montando o quadro:

  • Separe todo o material que vai utilizar;
  • Comece cortando o papelão, você pode escolher o melhor tamanho para o seu quadro (de acordo com o espaço que tem disponível para posicioná-lo e o resultado que espera), as medidas que usei foram:
    – Base de 35 cm x 20 cm
    – Moldura de 32 x 17 cm
    – Moldura (parte interna) 28 cm x 13 cm
    Eu cortei duas partes iguais para a base e três para a moldura, para ficar com a espessura que desejo;
  • Corte a base e separe, depois corte a moldura. Então, posicione um recorte com o tamanho da parte interna da moldura e marque com um lápis;

  • Eu sobrepus as três partes da moldura e as prendi com um grampo de papel. Com o auxílio de uma régua, passe o estilete por cima da marcação do lápis;
  • Depois continuei passando o estilete para cortar as três partes que estavam sobrepostas;
  • Por fim cortei todas as partes e a moldura ficou vazada;

  • Colei as duas partes da base com cola quente para ficar bem fixado;
  • Então colei as três partes da moldura;
  • No fim ficaram apenas duas peças: a base e a moldura;

  • Pintei a superfície das duas peças com base branca para artesanato, pois o tecido tem uma leve transparência e o fundo branco  dá um acabamento mais bonito. Também pode ser colada uma folha de sulfite ou até cartolina.
  • Depois que a base branca secou, espalhei cola também com o rolinho e colei o tecido que eu já tinha cortado;
  • Com o tecido colado na superfície, cortei as extremidades na diagonal;

  • Por fim, todas as pontas estavam cortadas na diagonal;
  • passei cola no papelão com o rolinho;
  • Então colei o tecido. Eu repeti isso com todas as abas;

  • Para dar acabamento atrás, peguei uma capa de revista e também pintei um dos lados com a base branca;
  • Então eu a encapei da mesma forma que encapei o papelão;
  • Colei atrás da base, para secar no lugar, prendi as pontas com fita crepe – que tirei depois que tudo secou;

  • Para revestir a moldura eu passei cola por toda a superfície e colei o tecido por cima;
  • Passei cola no verso e colei as pontas do tecido, que também foram cortadas na diagonal;
  • Por fim ela ficou toda revestida;

  • Para abrir o expaço vazado, fiz um corte com o estilete – não muito próximo do papel, caso contrário não conseguiria encapar;
  • Continuei o corte do estilete com uma tesoura;
  • Então a moldura ficou vazada novamente;

  • Cortei as extremidades na diagonal;
  • Colei todas as pontas;
  • E a moldura ficou pronta;

  • Para fazer o varal, usei um fio encerado e amarrei dos dois lados da moldura, na parte de cima;
  • Então colei a moldura à base com cola quente;
  • Quadro prontinho!

Fazendo as polaroides:

  • Pegue o papel branco (pode ser papel cartão, cartolina, colorplus… o que você tiver!) e faça um retângulo de 9 cm x 10 cm com uma régua;
  • Ainda com a régua, corte o papel com um estilete (se preferir, pode usar a tesoura);
  • Para cada foto serão necessários dois cortes com esse tamanho;

  • Corte um quadrado de 7 cm x 7 cm para usar como molde, então posicione-o em cima do retângulo, tomando cuidado para deixar uma margem maior na parte de baixo do retângulo;
  • Com o estilete, corte a parte marcada e então ficará uma moldura;
  • Escolha as fotos que vai usar (use a moldura para ver se vão ficar boas);

  • Com auxílio do retângulo inteiro, marque a foto a lápis;
  • Corte a foto um pouco menor do que a marcação (para não acabar sobrando nas laterais);
  • Cole a foto cortada à parte de trás (o retângulo inteiro);

  • Então cole a fita dupla face na moldura;
  • É importante usar fita dupla face pois a cola pode umedecer o papel e o acabamento não ficará bom;
  • Cole a moldura na foto, com cuidado para ficar alinhado. E a polaroid ficou pronta! 😀

Polaroides prontas.

Quadrinho pronto.


É um quadro bem versátil e dá pra inventar muitas coisas a partir dessa ideia. Você pode fazer colagens, pode pendurar fotos que te inspiram, tíquetes de viagem como lembrança, pode fazer um quadro bem grande e usar como mural… A criatividade que manda e as possibilidades não tem fim!

Quem fizer o quadrinho, posta uma foto no instagram com a hashtag #subexplicado que eu vou adorar ver!

Espero muito que tenham gostado. Qualquer dúvida pode deixar nos comentários pois vou responder a todos!

DIY: 5 maneiras de reutilizar potes e garrafas de vidro

Em 24.11.2016   Arquivado em DIY

Hoje eu trouxe mais um DIY super fácil para fazermos juntos. Sabe aqueles potes de geleia, papinha de bebê, palmito e as garrafinhas de leite de coco que você nunca joga fora, mas também nunca usa porque são sem graça? Trate de tirar a poeira de todos eles porque eu vou mostrar algumas formas de reutilizá-los e ainda deixar a casa mais bonita.

Eu nunca tenho coragem de jogar os potes e garrafinhas de vidro fora. Sempre encontro alguma utilidade: guardo temperos, trecos, canetas… Mas não tem graça se usar o vidro “puro”, né? Eu arranjo um jeito de enfeitar. Pego as coisas que tenho aqui em casa e começo a decorar, assim fica bonito, exclusivo e não gasto nada, já que eu sempre uso coisas que já tenho.

Vou mostrar 5 formas para você também enfeitar todos os seus vidros hoje mesmo e redecorar toda a sua casa com eles. Vem comigo!

#1 e #2 – Vasinhos de Garrafa de vidro

Esses vasinhos feitos com garrafinhas são super charmosos e simples de fazer. Bora catar todas as garrafinhas de casa e da vizinhança e fazer arte!

#1 Garrafinha com barbante

Materiais necessários:

  • Uma garrafinha de vidro (usei garrafa de leite de coco)
  • Cola quente
  • Barbante

Passo-a-passo:

  • Separe o material que vai usar, se organizar todas as coisas antes de começar, vai ficar muito mais fácil;
  • Passe um pouco de cola quente no local onde vai começar a passar o barbante pela garrafa;
  • Prenda o fio na cola e comece a enrolar;

  • Especialmente na primeira linha de barbante, vá passando cola por toda a extensão do fio;
  • Para as outras linhas, vá colocando cola esporadicamente, apenas para garantir a fixação do barbante;
  • Quando terminar de enrolar o barbante passe cola e corte o fio. Eu decorei apenas até a metade do vidro, mas também fica lindo no vidro todo;

  • Como eu não subi com o fio até o gargalo, quis complementar a decoração colocando um pouco de barbante neste local também;
  • Por fim, amarrei e deixei um pouco de barbante sobrando, porque acho charmoso;
  • Está pronto!

#2 Garrafinha com estampa

Materiais necessários:

  • Uma garrafinha de vidro (também usei garrafa de leite de coco)
  • Papel para scrapbook
  • Fita Dupla Face
  • Cola quente
  • Barbante

Passo-a-passo:

  • Organize o material necessário;
  • Meça com uma régua o tamanho necessário de papel e marque as medidas com um lápis;
  • Recorte o papel. Pode usar tesoura, mas mantenha as mãos firmes para que o corte saia perfeito;

  • Passe fita dupla face em todo o papel;
  • Tomando cuidado para que fique reto, cole o papel no local desejado. Para ficar com um melhor acabamento, passe fita dupla face na vertical para colar a extremidade do papel;
  • Só o papel já deixa a garrafa super charmosa, mas eu fiz um acabamento com barbante nas duas bordas do papel e também no gargalo, da mesma forma que fiz com a outra garrafinha.

#3 – Porta treco com pote de geleia

Também são super simples e com dois minutos de trabalho e um pouco de tinta já dá pra deixar esses potinhos com outra cara. Uso pra tudo!

Materiais necessários:

  • Potes de vidro (usei um de geleia e outro de papinha pronta)
  • Tinta da cor que preferir (usei tinta PVA Verde Água)
  • Pincel
  • Lápis com borracha na ponta

Passo-a-passo:

  • Comece sempre pelas tampas, pois são elas que darão “mais trabalho”. Pintei com tinta PVA, mas não é a tinta mais aconselhável para este trabalho. Como ela é a base de água, sai na lavagem, então se for pintar tampas de potes para temperos, alimentos ou até mesmo para uma duração melhor, utilize tinta acrílica ou spray. Com a PVA usei um pincel comum e dei três demãos para ficar sem manchas;
  • Passe a borracha do lápis na tinta e retire o excesso;
  • Vá carimbando o vidro com a borracha para fazer bolinhas. Adoro o efeito que essa técnica dá! Utilizei esse efeito apenas no pote menor, o maior eu apenas pintei a tampa.

#4 – Porta treco com pote de conserva

Esse é bem parecido com o de cima, mas usei materiais e “técnicas” diferentes para fazê-lo. Isso prova que você vai conseguir personalizar os seus potes com qualquer coisa que tiver em casa, é só colocar a criatividade em prática.

Materiais necessários:

  • Um pode de conserva (usei de palmito)
  • Canetinha metalizada
  • Papel
  • Fita Crepe

Passo-a-passo:

  • Prepare o material;
  • Também comecei pela tampa e pintei com a canetinha metálica da Faber Castel, mas claro que dá pra usar tinta mesmo!
  • Em um pedaço de papel, escrevi uma frase – você pode imprimir se preferir;

  • Coloquei o papel por dentro do vidro e fixei com ajuda de fita crepe;
  • Com a mesma canetinha metálica (mas pode usar qualquer marcador permanente) eu contornei as palavras escritas no papel;
  • E ficou pronto. 🙂

#5 – Porta treco com copo

De todos, esse é o mais fácil de fazer! Em um minuto você já estará com um copo velho e sem graça personalizado e pronto pra deixar seu cantinho com mais estilo.

Materiais necessários:

  • Um copo qualquer (usei o copo de uma vela aromatizada que acabou)
  • Washi tape

Passo-a-passo:

  • Eu sempre separo o material, até quando ele é constituído por apenas 2 items (hauahuah);
  • Escolha o local que quer enfeitar e vá colando a whasitape de forma precisa; Dá pra inventar MUITA coisa com essa fita: pode criar padrões, combinar duas ou mais estampas e cores… Não existe limites para as possibilidades de uso dessa coisa linda! Eu usei da forma mais básica do mundo;
  • Está pronto! Fiz algo bem clean…

Viram como é fácil? Como eu já disse, não existe regra e qualquer coisa que você encontrar pela frente vira matéria-prima para personalizar os vidros: esmaltes velhos (se estiver duro, coloca um pouco de acetona pra amolecer) podem ser usados como tinta, glitter, lantejola, papel de presente, tecido… Coloque toda a sua habilidade manual e criativa à prova, o resultado com certeza vai valer a pena. Não esqueça de compartilhar as suas técnicas preferidas aqui nos comentários!

Se você tiver algum pedido ou sugestão de DIY pros próximos posts da categoria, pode me pedir nos comentários também. Eu com certeza vou tentar atender o seu pedido. ♥ ♥ ♥

Me contem se gostaram das ideias e quem fizer não esquece de fotografar e me mostrar no instagram, twitter ou facebook com a hashtag #subexplicado. Eu vou amar ver!

DIY: Convite de Aniversário Harry Potter

Em 24.10.2016   Arquivado em DIY

Desde o Instamonth de Setembro eu falei que a festa de 9 anos do Caio, meu irmãozinho mais novo, vai ser do Harry Potter e prometi alguns DIY (tutoriais de “faça você mesmo”) com as coisas que eu vou fazer pra ele. Pois o momento chegou e aqui estou eu com o primeiro post dessa série, começando justamente do começo: o convite!

Então, se você vai fazer uma festa do Harry Potter em breve, agora você vai aprender a fazer um convite super fácil, mas que fica lindo! E se a sua festa não vai ser do bruxinho, não tem problema, porque você pode adaptar esse passo a passo para o seu tema preferido.

Tomei o cuidado de ensinar cada um dos passos de forma simples. A arte mesmo, eu fiz no photoshop, mas vou ensinar a fazê-la no bom e velho PAINT – aquele programinha que você usava para desenhar cachorro quente nas aulas de computação dos anos 90 e que TODO mundo que usa Windows tem no computador.

Nada nesse mundo vai te fazer acreditar que você não pode tomar as rédeas da sua vida e confeccionar você mesmo esse convite maravilha para o seu aniversário (ou do seu filho, primo, vizinho, enteado, coleguinha…). O post tá longo porque tá tudo bem explicadinho, tá?

Então, anota aí o que você vai precisar (a lista de materiais rende 30 lindos convites)!

Materiais Necessários:

  • Computador com o software PAINT instalado (ou equivalente);
  • 10 folhas A4 de papel couchê 220g (ou equivalente);
  • 4 folhas de papel color set (48x66cm) preto (ou a cor que você preferir);
  • Cola em bastão (ou outra, da sua preferência);
  • 1 rolo de corda sisal (4mm de expessura ou menos);
  • Estilete;
  • Régua e
  • Três novas fontes tipográficas (tipos de letra) para o seu computador: a Harry P, a Old English Text e a Stargazer. Ao clicar sobre o nome de qualquer uma delas, você é direcionado para uma página confiável para baixá-las. Se não souber como instalar, o Techtudo ensinou nesse post (é só clicar)!

Fazendo a arte do convite:

Se você sabe mexer em qualquer editor de imagens, provavelmente vai conseguir fazer essa parte e pode pular esse tutorial. Se você sabe mexer em photoshop e o tem instalado no seu pc, pode clicar aqui e baixar o arquivo pronto para editar o convite (um pouco bagunçado, mas tô torcendo pra você se encontrar!). Mas se você não tem outro programa de edição no computador, além do PAINT, seus problemas acabaram! Eis aqui euzinha, pronta para te dar as dicas certas pra chegar no resultado que precisa pra continuar nesse passo a passo. Vamos lá?

  • Pra começar, clique aqui e salve o arquivo base para usarmos como fundo do convite;
  • Vá até o local onde salvou o arquivo, clique nele com o botão esquerdo do mouse; coloque o cursos sobre a oção “abrir com” e em seguida clique em “Paint”;
  • O arquivo vai abrir no Paint, então vamos começar: escolha, na paleta de cores, uma das últimas cores da lista e clique no botão “Editar Cores”;
  • A janela de edição das cores abrirá. No lado direito dela, tem uma coluna com três campos: “vermelho”, “verde” e “azul”. Preencha os campos com as informações: vermelho: 54, verde: 54 e azul: 44 e então clique no botão “OK”. A primeira cor que vamos usar é essa (vamos chamá-la agora de “chumbo”). Repita a operação, escolhendo outra cor qualquer – menos a que você acabou de criar – e selecione “editar cores”, então agora a mistura é vermelho: 134, verde: 110 e azul: 64. A segunda cor foi criada e vamos chamá-la de “dourado” (embora não seja lá muito dourada, né?).

  • Quando terminar, você deve ter as duas cores lá embaixo, para adicionadas à sua paleta. Se isso não acontecer, dá uma olhadinha no passo a passo de novo e veja se perdeu alguma coisa;
  • Diminua o zoom da imagem, para ficar mais fácil visualizar a edição. Para isso, clique lá na barra superior em “exibir” e em seguida em “reduzir”.
  • Volte para a barra de ferramentas, clicando em “Início” (ao lado do “Exibir”), selecione a cor “dourado” que criou e então clique sobre a ferramenta de texto – o símbolo “A”.
  • Clique sobre qualquer lugar da imagem e então abrirá a caixa de informações do texto. Selecione a fonte Harry P e coloque o tamanho 130;

  • Escreva o nome do dono da festa. Caso o nome seja extenso, pode diminuir o tamanho da fonte. Então, sem clicar fora da caixa de texto, clique sobre a borda pontilhada e arraste o texto para o local que preferir do espaço do convite. É dessa forma que você vai posicionar cada texto que fizer para o convite. Quando estiver no lugar que você escolher deixá-lo, é só clicar fora da caixa de texto e ele ficará onde você deixou, sem possibilidade de mudança. Eu recomendo ir salvando o arquivo a cada pedacinho que for ficando pronto, assim, caso erre alguma coisa, não precisará voltar desde o início, é só pegar o arquivo salvo e continuar de onde ele estiver;
  • Escreva a idade que o aniversariante vai fazer. Para isso, eu usei a fonte Old English, no tamanho 90. É claro que você pode colocar o texto que preferir, esse é apenas um exemplo.
  • Continuei adicionando texto. O texto padrão eu escrevi com a fonte Stargazer, alternando com a Old English, em tamanhos variados. Fui colocando aos poucos e linha por linha, para escolher o espaçamento que julguei adequado;
  • Quando terminar de editar todo o convite, clique em “salvar como”, escolha o local que prefere arquivá-lo e salve como “PNG”, para não perder qualidade. O meu ficou assim (é só clicar).

Com a arte pronta, você pode colocar no word, em uma folha no modo paisagem, com as bordas estreitas. Aí você escolhe quantos colocará por folha. Eu coloquei 3 e o tamanho ficou aproximadamente 9cm x 15,5cm cada um. Aí é só imprimir em papel couchê ou o de sua preferência. Se atente para a qualidade da impressão: essa não é a hora para economizar tinta!

Se você não tiver impressora, é só levar em uma gráfica rápida que eles imprimem, foi isso o que eu fiz! 🙂

Montando o convite:

Já fez a arte e imprimiu? Então chegou a hora de montar e deixar o convite lindo!

  • Depois de imprimir os convites, corte-os um a um. A melhor forma de fazer isso é com uma régua e um estilete, mas se você se sentir mais seguro com uma tesoura, pode usá-la também;
  • Para fazer o envelope, corte retângulos de papel color set com as medidas 20,5cm x 16,5cm. Se os seus convites tiverem um tamanho diferente do de 9cm x 15,5cm, você deve cortar do tamanho proporcional. Meu cálculo foi feito usando o convite como base, deixando um pouco de borda ao redor e depois multiplicando por dois o tamanho medido, pois vamos dobrar o papel do envelope;
  • Com o auxíulio da régua, encontre o meio do papel (no comprimento) e marque com uma caneta no centro (pois assim a marcação será coberta pelo convite;

  • Usando a marcação que acabou de fazer como base, dobre um dos lados do papel (até atingir essa marcação), e em seguida o outro. Vai ficar tipo uma janela, com duas abas;
  • Pegue o convite impresso e passe cola nas extremidades;
  • Fixe o convite no envelope, tomando cuidado para ficar centralizado;

  • Corte um pedaço de corda sisal suficiente para amarrar o envelope. Usei pedaços de aproximadamente 42cm;
  • Amarre a corda no envelope e faça um laço;
  • A mágica está pronta e o seu fabuloso convite também! 😀

Toda a montagem é muito simples, eu fiz tudo em algumas horas – não sei ao certo quantas, pois acabei dividindo em 2 dias. Se você comprar todo o material de uma vez, acredito que em metade de um dia provavelmente estará tudo pronto (para fazer 30 convites em média). Mas não se apresse e faça no seu ritmo, afinal, também deve ter crescido ouvindo que a pressa é inimiga da perfeição e já deve ter aprendido que existe uma grande verdade nessa expressão! Faça com amor e cuidado, essa é a garantia para deixá-lo lindo!

Gastei em torno de R$60,00 e fiz 36 convites, isso incluindo a impressão e tudo mais. Ainda sobrou bastante sisal, que vou usar para amarrar as tags das lembrancinhas. Achei o custo benefício excelente!

Como falei lá em cima, você não precisa ficar preso ao tema Harry Potter. Pode usar o DIY e fazer convites para o tema que preferir!

E se fizer, não esquece de me mostrar! Pode me marcar na foto que postar (@cami_mrtns) ou usar a hashtag #subexplicado. Eu vou amar ver!!! *-*

Me contem se gostaram, se fariam e qualquer outra dúvida ou sugestão nos comentários. Vou adorar conversar!

Página 1 de 212