Categoria "Livros"

Desafio: 30 dias, 30 contos (Parte 2)

Em 23.04.2014   Arquivado em Livros

Hoje é dia de falar sobre o desafio de 30 contos em 30 dias (pra quem ainda não viu eu o lancei aqui e falei sobre a primeira parte aqui). Vou falar sobre 8 contos que li, desde o dia 14 até ontem; dessa forma eu cheguei à metade do projeto.
Vamos aos contos?

8º Dia (14 de Abril): As Competições de Cowlick – Richard Kennedy (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Um grupo de forasteiros invadem uma cidade para saqueá-la e um menino tenta despistá-los enquanto o xerife e os outros policiais voltam da pescaria.
Não sei o que falar desse conto. Esse livro é de contos infanto-juvenis. Não me lembro direito mas acho que nem quando eu tinha uns 9 anos eu gostaria de um conto como esse… Tão zzzzz…. =/
 
9º Dia (15 de Abril): Vendidos Separadamente – Jon Scieszka (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Conto escrito a partir de propagandas norte-americanas (que quando possível foram adaptadas às brasileiras) e bordões da história dos Estados Unidos.
Eu imagino e espero que os americanos tenham entendido o que se passa, visualizando as cenas das propagandas e bordões e haja algum motivo para isso ter sido publicado. Para mim não passou de um amontoado de palavras jogadas, sem sentido algum. Sério mesmo, se puder ler, para entender o que estou dizendo… NÃO FAZ SENTIDO!
10º Dia (16 de Abril): O Terceiro Desejo de Seymour – Sam Swope (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Seymour é filho de uma ogra que odeia crianças – inclusive o próprio filho – mas ama gatos. Certo dia ele captura um duende que deve conceder-lhe 3 desejos. Não é difícil imaginar qual será esse terceiro desejo de Seymour, mas mesmo assim o conto é legalzinho, principalmente se comparado aos 2 anteriores… Nada demais, nada de profundo, nada de nada. Apenas uma historinha pra passar o tempo…

11º Dia (17 de Abril): Grimble – Clement Freud (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Grimble é um menino de aproximadamente 10 anos que vive sua rotina normalmente, até o dia em que seus pais viajam para o Peru, deixando apenas bilhetes para ele conseguir se virar até que voltem.
Achei o conto bem gostoso de ler, é o mais longo do livro todo (39 páginas). Fiquei o tempo todo curiosa querendo saber o que os pais dele estavam fazendo no Peru e o propósito de tudo. Achei o final confuso, não consegui entender (hauahuah) e nem sei se tem algo a ser entendido… mesmo assim gostei 🙂
12º Dia (18 de Abril): Spoony-e & Spandy-3 contra as hordas roxas – James Kochalka (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
É um quadrinho, sobre algo parecido com uma dupla – um bebê e um gato – de astronautas, em algum lugar do universo, lutando contra umas gosmas roxas. Entendeu? Nem eu.
13º Dia (19 de Abril): Pássaro-do-sol – Neil Gaiman (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Um grupo de excêntricos epicuristas (se você, assim como eu, não sabe o que é epicurismo, eis a explicação) com hábitos alimentares peculiares faz uma expedição ao Cairo para encontrar um prato que nunca apreciaram: o Pássaro do Sol.
Tive altos e baixos com esse conto. Primeiro, minha expectativa estava alta, afinal estamos falando de um dos autores mais comentados dos últimos tempos. Quando comecei a leitura, e até a metade pro final, estava super entediada, achando sem pé nem cabeça (nunca li realismo fantástico, mas acho que esse conto se trata do gênero, por favor me corrijam se eu estiver errada) mas aí o negócio vai engrenando e o final é muito bom! Eu amei do final, achei totalmente inesperado e fascinante.
14º Dia (20 de Abril): O Telefone da ACSE – Jeanne DuPrau (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Um garoto simples que adora andar em seus patins e não gosta de voltar para casa depois da escola encontra um celular em um parque. Ao tentar achar o dono, ele acaba fazendo uma ligação para um lugar estranho em uma frequência mais estranha ainda.
Tudo muda em sua vida quando ele encontra o responsável pelo telefone, que explica pra ele para que o celular serve e como deve ser usado.
Eu gostei. Achei diferente, criativo e a mensagem que passa é muito bonita e de utilidade pública.
15º Dia (21 de Abril): O Sexto Distrito – Jonathan SafranFoer (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Fala sobre a existência, no passado, de um sexto distrito na Cidade de Nova York e de como ele deixou de existir.
É um conto bonitinho, principalmente pra ser contado às crianças de Nova York,que poderão imaginar o que está sendo descrito com muito mais facilidade do que as que nunca viram NY ou o Central Park na vida – like me.
E essa foi a minha segunda e última semana de desafio. Isso mesmo, infelizmente eu não vou concluí-lo. Fica para outra oportunidade 🙂
Pra quem se interessou pelos contos, o livro é uma edição muito bonita da CosacNaify, que inclusive comprei pela capa – me apaixonei, ele tem uma jacket linda de morrer, mesmo não sendo capa dura; só não gostei muito da diagramação, mas não é nada para morrer de ódio…

Desafio: 30 dias, 30 contos (Parte 1)

Em 15.04.2014   Arquivado em Livros
Lembram do desafio de ler 30 contos em 30 dias (esse aqui) que lancei aqui no blog? Então, hoje vim falar sobre os primeiros 7 contos que li, dentro do desafio.
Pra começar, esse post está atrasado. Comecei na segunda-feira, dia 07 de Abril, e era pra ter falado sobre ele ontem, já que decidi falar de semana em semana. Mas eu não consegui escrever o post e acabou saindo atrasado. Enfim, sem mais enrolações, vou direto aos contros. Vou falar um pouquinho sobre cada um deles, assim dá pra ver se é ou não interessante para o estilo literário de cada um.
1º Dia (7 de Abril): Dormindo com o Espírito – Laurie Faria Stolarz (Livro Amores Infernais)

Esse conto é sobre uma adolescente, que se mudou para uma casa onde um garoto foi assassinado. Ela começa a sonhar com o espírito, que está tentando fazer contato para que ela possa ajudá-lo.

De verdade, esse conto foi um fiasco. É clichê e quanto a isso não tem nem como discutir. Mas claro que não é isso o que fez dele ruim. Ele é mal escrito, a autora viajou em algumas explicações que ficaram idiotas, o final é previsível… Enfim, eu não gostei. Tanto é que até mudei de livro pra continuar com o desafio. Deixei esse pro final.
2º Dia (8 de Abril): Mamãe Sabugueiro – Hans Christian Andersen (Livro Mamãe Sabugueiro e outras histórias bonitas)
É um conto infantil, de um livro que tenho desde que eu nem sabia ler e minha mãe que o lia pra mim. É sobre um contador de histórias e a lenda da Mamãe Sabugueiro. Realmente não consigo falar mais nada sobre ele sem falar o conto todo e a moral da história (rs). É uma historinha leve, cheia de alegorias e mensagens, como todo bom conto de fadas. Sou suspeita pra falar se é bom ou não, pois adoro o Andersen…
3º Dia (9 de Abril): Rita Hayworth e a Redenção de  Shawshank (Primavera Eterna)- Stephen King (Livro Quatro Estações)
Eu achei que já tinha lido esse livro, mas me enganei. Eu li apenas o 2º conto dele (Aluno Inteligente) há vários anos. Esse conto nos apresenta a história de Andy Dufresne, um homem inocente, acusado do assassinato de sua esposa e do amante dela, condenado à prisão perpétua.
Não tem nada sobrenatural no livro, é apenas uma história sobre a vida na prisão. Não consigo nem expressar o que sinti a respeito desse conto. Com tão pouco o Stephen King fez tanta coisa! O conto é incrivelmente bom. Me peguei ao longo de toda a leitura sofrendo junto com o Andy e torcendo por ele. O final é ótimo e como todo bom conto nos deixa com a cabeça cheia, imaginando tudo o que pode ter acontecido. Foi o melhor conto que li nessa primeira semana.

4º Dia (10 de Abril): Pequeno PaísNick Hornby (Livro Foras da Lei Barulhentos…)

A história de como Stefan, um garoto que mora em Champina – o menor país do mundo – teve que entrar para a seleção de futebol de seu país e o quanto isso o desagrada.
Não sei que tipo de público poderia gostar desse conto. Fui enganada na introdução do livro, sendo informada de que não haveriam contos chatos (juro, até agora o melhor do livro foi a introdução – e a capa que é LINDA) e o primeiro conto já quebra a promessa. Não acontece nada, além de um jogo de futebol bem do desinteressante…
5º Dia (11 de Abril): Lars Farf, pai e marido excessivamente temerosoGeorge Saunders (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Lars Farf é um homem comum, com uma vida comum, que um dia volta para casa e a encontra reduzida a cinzas depois de um incêndio. Sua esposa e seus filhos não estavam em casa e estão a salvo, mas a expectativa do que poderia ter acontecido muda a vida de todos, pois Lars torna-se excessivamente temeroso e está sempre com uma nova ideia para prevenção de qualquer coisa que possa colocar em risco a vida de seus familiares.
São muitas situações absurdas, mas gostei da mensagem que o conto passou. Conheço vários “Lars Farfs” da vida, que deixam e viver por medo de morrer…
6º Dia (12 de Abril): MonstroKelly Link (Livro Foras da Lei Barulhentos…)
Um grupo de crianças em um acampamento de verão e o monstro que aterroriza a todos.
Sério mesmo, o conto é sem pé nem cabeça. Mas o problema mesmo é ele ser tão confuso. Não entendi direito como as coisas aconteceram e muito menos entendi o final – EU NÃO ENTENDI ABSOLUTAMENTE NADA do final, não sei como acabou.
7º Dia (13 de Abril): Aluno Inteligente (Verão da Corrupção)Stephen King (Livro Quatro Estações)
Um adolescente um tanto quanto problemático descobre que seu vizinho foi um nazista. Ele quer saber detalhes sobre o que acontecia aos judeus nas sessões de tortura.
Foi esse o conto que li há vários anos; peguei na biblioteca da cidade na época e era um único livro (Verão da Corrupção). Quando li, já havia achado extremamente forte e agora só reforcei essa impressão. É sobre o Holocausto e a narrativa é de Stephen King, isto é, sem meias palavras. Leia por sua conta e risco. Não tem como falar que gostei, pois o assunto é de dar náuseas, mas a forma de contar é a de King: inebriante.
Então esses foram os 7 contos que li na primeira semana. Um ótimo, alguns bons, outros nem tanto. Sigo no desafio, no dia 21 faço outro post com os outros 7 contos dessa semana 🙂

Um beijo!!!

A Guerra dos Tronos (As Crônicas de Gelo e Fogo – Livro 1)

Em 07.04.2014   Arquivado em Livros

A Guerra dos Tronos é o primeiro volume da série As Crônicas de Gelo e Fogo (foram lançados 5 volumes e a previsão é de que a série tenha 7 livros no total).

 O que diz a sinopse:
Em uma terra onde o verão pode durar décadas e o inverno toda uma vida, os problemas estão apenas começando. O frio está de volta e, nas florestas ao norte de Winterfell, forças sobrenaturais se espalham por trás da Muralha que protege a região. No centro do conflito estão os Stark do reino de Winterfell, uma família tão áspera quanto as terras que lhe pertencem. Dos lugares onde o frio é brutal, até os distantes reinos de plenitude e sol, George R. R. Martin narra uma história de lordes e damas, soldados e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos. Entre disputas por reinos, tragédias e traições, vitória e terror, o destino dos Stark, seus aliados e seus inimigos é incerto. Mas cada um está se esforçando para ganhar este conflito mortal: a guerra dos tronos. 
Título: A Guerra dos Tronos (A Game of Thrones – no original)
Autor: George R. R. Martins
Editora: Leya
Edição: 1ª Edição (10 reimpressão)
Ano: 2010
Especificações: Brochura | 591 páginas
A morte de Jon Arryn, o conselheiro do Rei, leva Robert Baratheon, Rei de Westeros, até Winterfell. Robert vai em busca de seu melhor amigo Ned Stark – Lorde de Winterfell e protetor do Norte – para nomeá-lo o novo Mão do Rei e levá-lo consigo para a sede do reino em Porto Real, para que lá possa dedicar sua vida para aconselhar Robert em seu reinado.
O que a princípio poderia parecer apenas mais um fato na história de Westeros – apenas mais um nome nos densos livros a respeito de reis e suas cortes – se transforma em uma guerra. Enquanto criaturas temerosas – que não são vistas a mais de mil anos – surgem à norte de Winterfell e do outro lado do mundo, Daenerys Targaryen – uma herdeira do antigo rei – marcha de volta à Westeros pretendendo reaver seu trono, os 7 Reinos  governados pelo Rei Robert entram em guerra após a nomeação de Ned Stark como Mão do Rei.
Uma história de suseranos, vassalos, Lordes, donzelas, bastardos, cavaleiros e mercenários envolvidos em um jogo perigoso para definir quem será o vencedor na Guerra dos Tronos.
Comecei a ler os livros de As Crônicas de Gelo de Fogo, depois de ter conhecido a série de TV Game of Thrones (baseada nos livros). Antes disso, sempre via os livros à venda mas nunca me chamaram a atenção. O que posso dizer hoje sobre isso, é como eu me arrependo!!!
A Guerra dos Tronos é um livro denso, tenso! Mas é uma história fascinante. O mundo que Martin criou é novo e diferente de tudo. Viajamos para um lugar onde vivem dragões e criaturas sobrenaturais; porém, o verdadeiro perigo são as pessoas. A linha entre a vida e a morte é tênue, frágil. Para sobreviver, é preciso entrar no jogo e saber jogar.
Os personagens são ricamente construídos, bem desenvolvidos, extremamente complexos.
Não dá pra deixar de falar de Tyrion Lannister, um dos homens mais inteligente de Westeros, seu único erro foi ter nascido anão. É um dos melhores personagens, o que mais nos leva a refletir, o que nos ajuda a compreender, o dono das melhores citações do livro… Tyrion, o Duende, nos leva a amá-lo, odiar seus inimigos e algumas vezes até mesmo odiá-lo.
Arya, filha de Ned Stark, é uma guerreira. Impossível não torcer por ela o tempo todo, se comover com o quanto a decisão de seu pai, em ir para Porto Real servir ao rei, transformou tanto a sua vida. Na verdade, a aceitação de Ned em ocupar o cargo de Mão muda a vida de todo o reino e não apenas a de sua família. A sucessão de acontecimentos decorrentes dessa única escolha é de tirar o fôlego!!!
Figurando entre um dos melhores livros que já li e vencedor de a melhor série de livros, na minha humilde opinião, A Guerra dos Tronos é um dos livros que indico para quase todas as pessoas. Só não indico pra quem não gosta muito de ler, já que a leitura é extensa; o livro tem quase 600 páginas preenchidas com letras miúdas. Se você ainda não leu e nem assistiu, se tem o hábito da leitura, indico com convicção que comece pelos livros. Se já assistiu mas não leu, também recomendo, já que tem muitos detalhes, na leitura, que nos levam a entender muito melhor o que se passa na série.
**atualmente estou no final (últimas 50 páginas) do 3º livro da série (A Tormenta de Espadas)**

Desafio: 30 dias, 30 contos.

Em 05.04.2014   Arquivado em Livros

Olá, pessoal!!! Tudo bem?

Hoje eu vi um vídeo da Tatiane Feltrin, sobre as leituras que ela iniciou o mês de abril (este), e a vi comentando sobre um projeto que ela está fazendo de um conto por dia. Pelo que entendi, ela fará a leitura de um conto por dia ao longo de todo ano (essa é minha dedução, pois ela não fala qual o período em que ela pretende fazer o projeto).

Achei a ideia o máximo e pensei em fazer, mas eu não tenho tantos contos assim pra ler… Aí estava já vendo um outro blog e vi um desafio chamado “30 dias, 30 batons” (aqui) e então pensei em fazer a mesma coisa com os benditos contos.

Então o resultado da junção dessas ideias foi 30 dias, 30 contos. Vou começar segunda-feira, pra ter uma preparação psicológica básica (haha).

Tenho apenas 4 livros de contos (que tristeza):

  • Amores Infernais (vários autores – 5 contos)
  • Formaturas Infernais (vários autores – 5 contos)
  • As Quatro Estações (Stephen King – 4 contos)  já li esses 4 contos, mas faz muito tempo e só lembro de 1 deles
  • Foras da Lei Barulhentos… (vários autores – 11 contos)  li os 3 primeiros contos no mês passado, mas vou ler novamente

Totalizando, em livros eu tenho 25 contos pra ler, mas tenho alguns outros no Kindle, por isso terei os 30 de que preciso.

Como começarei o desafio segunda, 7 de Abril, ele terminará dia 7 de Maio. Vou tentar fazer 1 post por semana falando sobre o andamento e se desandar por 1 dia, acaba do desafio, pq desafio é assim: à risca! (hauahauha).

Quem quiser me acompanhar, super aceito! =D

A Invenção de Hugo Cabret (livro)

Em 02.04.2014   Arquivado em Livros

A Invenção de Hugo Cabret é um livro infanto-juvenil, que virou um filme (e ganhou 5 Oscars em 2012).

O que diz a sinopse:

Prepare-se para entrar em um mundo onde o mistério e o suspense ditam as regras. Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930. esgueirando-se por passagens secretas, Hugo cuida dos gigantescos relógios do lugar: escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento das máquinas. A sobrevivência de Hugo depende do anonimato: ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto. Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e um homem mecânico estão no centro desta intrincada e imprevisível história, que, narrada por texto e imagens, mistura elementos dos quadrinhos e do cinema, oferecendo uma diferente e emocionante experiência de leitura. 

Título: A Invenção de Hugo Cabret (The Invention of Hugo Cabret – no original)
Autor: Brian Selznick
Editora: SM
Edição: 1ª
Ano: 2007

Especificações: Brochura | 534 páginas

Hugo é um menino de 12 anos, órfão, que vive sozinho na casa de máquinas de uma estação de trem em Paris, na década de 30.

Quando seu pai morreu ele foi viver com o tio Claude, que o tirou da escola e o deixou responsável pela manutenção dos relógios da Estação, enquanto passa seus dias se embebedando, até que um dia desaparece.

O maior medo de Hugo é ser levado para um orfanato, por isso, mesmo com o tio desaparecido ele continua consertando e dando corda nos relógios, para que o sumiço de Claude não seja notado e não mandem alguém para buscá-lo.
Com o tio desaparecido, Hugo tem que lutar por sua sobrevivência, já que mesmo pegando os contra-cheques do tio, ele não sabe como descontá-los, portanto fica sem dinheiro e tem que roubar para comer. Mas a sua vida gira mesmo em torno de um autômato, que o pai consertava na noite em que morreu. Desde a primeira vez que Hugo viu o objeto ficou fascinado e agora ele tem certeza que o pai deixou uma mensagem para ele através do automato, então vive em função de consertar o boneco de lata e desvendar o mistério que o cerca.
Na tentativa de consertar o autômato, sua vida se cruza com a de Georges Méliès e a de sua afilhada, Isabelle. George se mostra um senhor amargo, cheio de segredos. Enquanto Isabelle e Hugo acabam construindo uma bonita amizade.
O livro conta a história de Hugo de uma forma leve, apesar da temática pesada – um menino órfão, que vive com um tio bêbado (e desaparecido) que saiu da escola pra trabalhar e tem que roubar pra comer – é um livro infantil. A história é contada através de textos e MUITAS ilustrações belíssimas.
Apesar das 534 páginas, eu o li em um fim de tarde; há muito mais páginas ilustradas do que escritas.
É uma leitura fácil e emocionante. Dependendo do seu nível de emocionabilidade, talvez hajam algumas lágrimas, devido a situação do Hugo; mas isso se for um nível bem alto, já que, como disse antes, mesmo a situação difícil e triste do menino órfão é colocada de forma leve, por ser um livro mais infantil do que adulto – apesar de servir perfeitamente para o segundo público.
Apesar de ter gostado muito, não considero um livro incrível. O desenrolar da história acabou tomando um rumo muito mais superficial do que eu gostaria de admitir. A história de vida de Georges Méliès não me comoveu, principalmente comparada à do Hugo, então acabei me ressentindo do fato dele se lamuriar tanto por algo pequeno enquanto o Hugo não reclama da vida sofrida que leva. O autor realmente não me convenceu sobre essa parte do drama.
Recomendo o livro principalmente pra quem gosta de ilustrações a grafite, pois estão fantásticas. Para os cinéfilos também é um prato cheio, já que tem bastante coisa a respeito do início do Cinema, inclusive algumas fotografias de filmes antigos.
Página 4 de 512345