Crochê: aprendendo uma nova paixão

Em 17.05.2017   Arquivado em Blog, DIY

Eu tenho estado um pouco (muito, né?) ausente aqui do blog, do canal, do instagram, do facebook e da internet toda. Tenho recebido várias mensagens super fofas de pessoinhas lindas, preocupadas com o que está acontecendo. (Obrigada pelo carinho, gente! ❤)

E a verdade é que eu não sei exatamente o que está acontecendo. Mas sei que é só uma fase, e acho que ela já está passando.

Eu gosto de fazer tudo com muito amor e cuidado. Gosto de fazer as fotos dos posts, escrever os textos, revisar, revisar, revisar… E nem sempre a gente se sente bem para conseguir fazer as coisas como gostaríamos, não é?

E aí, hoje eu acordei com vontade de blogar e de desabafar ao mesmo tempo. E tem um assunto que envolve as duas coisas e eu vim mostrar pra vocês: o meu crochê!

Eu não tenho me sentido exatamente bem nos últimos tempos. Tô mais quieta do que eu sou – e eu já sou bem quieta, então eu estou quase apática!; ando muito reflexiva, pensando muito em coisas não tão legais assim… Mas aí, em um dia procurando umas inspirações para a organização aqui do apê eu encontrei umas coisas bem lindas feitas em crochê.

Continuei pesquisando mais sobre o assunto e me apaixonando a cada minuto mais por essa arte que é tão linda, tão antiga e que agora é super tendência. E aí no meio de todas as minhas pesquisas, acabei encontrando o canal da Nat Petry, onde ela ensina algumas técnicas bem explicadinhas, para que até pessoas que nunca fizeram crochê antes possam aprender.

Começando do começo

Eu cresci vendo minha mãe fazendo crochê e até a acompanhei a alguns workshops, quando eu era criança. Mas naquela época eu não achava lá muito legal. Eu tinha umas agulhas de tricô, que minha tia tinha me dado, e sabia fazer um único tipo de ponto com elas. Então eu seguia minha vida fazendo um bilhão de cachecóis para as minhas barbies e não via a mínima graça em crochê.

Aí eu cresci, aprendi a fazer bordado, com ponto cruz, ponto russo, ponto reto… Resumindo: eu sempre adorei fazer esses trabalhos manuais “de avó”, mas nunca crochê. E a minha desculpa pra isso é que era muito complicado.

E aí, em pleno 2017 eu encontrei uns vídeos e decidi que amo crochê. Que pessoa complicada eu sou, né?

Assisti o vídeo da Nat, ensinando a fazer um cesto quadrado em maxi crochê umas mil vezes, até que achei que tava na hora de colocar tudo em prática. Achei uma loja MARA aqui em São José dos Campos (a Bastex), que fica até que perto da minha casa e tinha todo tipo de fio de malha (que é o material que a Nat usa no trabalho dela) e comprei uns rolos.

O meu primeiro trabalho

Peguei os meus novelos de fio de malha, abri o youtube e comecei a tentar. Um pouco cética, é verdade. Conforme o trabalho foi seguindo, eu ia me deslumbrando com o resultado. Afinal, tava saindo alguma coisa!

No fim de tudo, saiu esse cesto aí, super lindo. Morri de orgulho! E sabe o que é mais legal? Eu postei lá no instagram a foto do cesto e falei que tinha feito seguindo vídeo da Nat. No dia seguinte, uma amiga do Arthur me mandou mensagem falando que eu a tinha inspirado a tentar também, ela foi lá e fez e ficou lindo! *-*

É claro que o modelo mais lindo do mundo todo e que eu tenho a sorte de ter à minha disposição não poderia ficar de fora né? Se preparem pra morrer de fofura porque eu fiz umas mil fotos dele! Esse cesto, como muitos pensaram por causa dessas fotos, não virou caminha do Melman, mas foi lá pro armário do Arthur para guardar meias – só que é bem mais legal ver fotos do Melman do que de meias, né?!

E depois ainda teve mais um monte de coisa

Depois que fiz o primeiro cesto, eu não quis mais parar. Fiz um cachepôzinho, cestinho para colocar os brinquedos do Melman, fiz um cestinho para a minha mãe, enquanto eu estava indo para Sorocaba, onde a gente ia se encontrar… Fiz várias coisas, tudo com a técnica da Nat, de crochetar sem agulhas, usando os dedos como instrumento.

Comprando Agulhas

Crochê vai, crochê vem, meu dedo indicador, da mão direita (que é o que eu mais usava enquanto tava fazendo os crochês) começou a ficar inchado e dolorido, por causa da minha tendinite (a idade sempre chega, né? haha). E aí eu resolvi comprar uma agulha. Como eu adorei a técnica de maxi crochê da Nat, eu queria uma agulha beeem grossa. A mais grossa que achei foi a nº 12 e comprei ela e mais duas menores: a 10 e a 8.

Consegui fazer a técnica que a Nat ensina, com os 3 fios ao mesmo tempo, com a nº 12 normalmente. E adorei o resultado: o meu dedo ficou bem e o cesto ficou mais firme.

Uso as outras agulhas menores para trabalhos onde eu só uso um fio, que tenho aprendido com a Mari, no canal da EuroRoma, que é uma marca de fios que tem uma sessão só de fios de malha lá no canal, onde dá para aprender desde o comecinho. E também conheci o canal Pé Inocente, onde ensina várias coisinhas fofas também.

E eu não parei mais de crochetar

Ultimamente tenho feito muito crochê. É como se fosse uma terapia pra mim. Coloco alguma música que eu adoro, pego os fios e as agulhas e começo a fazer vários experimentos com todas as técnicas e pontos que eu vou aprendendo no youtube. No fim sempre sai alguma coisa e eu adoro essa sensação!

Acreditam que eu já tive até encomendas? E as pessoas adoraram! Já criei, na minha mente, até a minha marca! haha
Já tem alguns cestinhos espalhados aqui pela casa, organizando o armário de roupas, as coisinhas no banheiro, os cosméticos… Tem porta copos, descanso de panela e até um tapete começado.


Fazer crochê tem sido uma ótima forma de esquecer os problemas, que muitas vezes nem existem e eu crio só na minha cabeça. E isso vale para todos os tipos de arte e trabalhos manuais. Tenho certeza que você que está lendo também tem paixão por alguma técnica e às vezes acha que não consegue aprender. Mas a gente pode tudo, sabia? E o que não falta é gente linda ensinando pela internet afora.

Me conta o que você achou do meu novo hobby, o que você faz ou gostaria de fazer… Conversa comigo, eu adoro!

  • Gleiciane

    Em 17.05.2017

    Olá. Parabéns pelo blog!
    Aprendi crochê recentemente, também pelos vídeos do YouTube e já fiz um tapete. Achei lindo seus cestos e estou inspirada a começar a fazer. Fico encantada com os trabalhos da Mari.
    Ultimamente ando meio frustada nesse aspecto, tenho um nível de impaciência altíssimo e quando começo algo já quero ver a peça pronta e sem defeito (praticamente impossível pra quem está no começo), mas estou usando esses momentos pra ficar a sós comigo mesma e tentar acalmar esse mente turbulenta.

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Oi, Gleice!
    Menina, eu tbm sofro com impaciência. Mas vamos conseguir vencer! haha
    Vc fez até tapete! Tenho certeza que ficou lindo!!! *-*
    E é tão terapêutico crochetar… *__*

    Beijão enorme! <3

    [Responda]

  • Thaís Bueno

    Em 17.05.2017

    Ficou tudo muito lindo, parabéns!!!! Acho que todos nós passamos por esses momentos de introspecção maior mas não podemos deixar issk nos dominar né! Adoro seus posts, suas fotos e o Melman 😍😍😍😍😍. Vou ficar na torcida pra que novos posts venham rapidinho.

    Beijos?,

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Thaís, mais uma vez obrigada pelo carinho!
    Vou me esforçar mais pra ter posts com mais frequência! <3
    Nem consigo mensurar o que todos os seus comentários aqui, no insta, no face, significam pra mim. Obrigada de coração!
    Beijos meus e do Melman pra vc! <3

    [Responda]

  • Carol Sena

    Em 17.05.2017

    croche só lembra minha mãe, ela faz tapetes e tal, tentei aprender uma vez, mas sou tão sem talento. Amei as suas criações, ficaram lindas

    Blog Entre Ver e Viver

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Oi, Carol!!
    Seu talento tá empregado em outra coisa nesse momento! 🙂 Mas vc tem sim, viu?

    Beijoooo! <3

    [Responda]

  • Divana

    Em 17.05.2017

    Camila, ficaram lindos!
    Eu também sei fazer esses tipos de artesanato e amo!
    Hoje em dia tomei coragem e comecei a fazer roupas. Isso rendeu 3 saias longas e um vestido de verão/inverno. Estou amando!
    Abraços!

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Divana do céu, como eu queria conseguir fazer roupas tbm!!! *__*
    Um dia vou tentar. Tenho certeza que fica lindo!
    Parabéns pelo talento!

    Beijão!!! <3

    [Responda]

  • Marcela

    Em 17.05.2017

    Que post delicinha!! Adorei os cestos, e fiquei besta quando você falou que fez com os dedos! Ficaram realmente ótimos! E acho que está mais do que na hora do seu cãozinho MARAVILHOSO ganhar uma cestinha só pra ele, hahaha. Eu adoro crochê, mas não sei patavina sobre isso. Quero muito aprender a fazer amigurumis quando tiver mais tempo livre – inclusive, fica a dica pra você também! Eu tenho uma pasta imensa de bichinhos feitos de crochê no Pinterest, achei o melhor lugar pra encontrar essas coisas, e tem cada modelo lindo que fica até difícil de acreditar! Espero muito conseguir aprender, que aí tenho certeza que vou fazer em linha de produção que nem você! hahaha

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Oie, Marcela!

    Menina, tbm to louca pra conseguir fazer um amigurumi. Ainda não tentei, preciso comprar o material e começar a assistir as vídeo-aulas do youtube. Mas tenho certeza que o meu vai dar certo e o seu tbm!

    E aí o meu eu vou dar pro Melman, que não ganhou cestinho (ainda) mas vai ganhar o bichinho de crochê! haha

    Beijooo <3 <3 <3

    [Responda]

  • Cássia Souza

    Em 17.05.2017

    Menina! Me identifiquei muito com o que você está sentindo… Nos últimos dias estou exatamente assim, mais quieta que o normal (e já sou quieta), muito reflexiva e criando problemas que nem existem…
    Felizmente, é uma fase que já está passando, porque percebi que sou eu quem estou criando esses problemas e isso só me prejudica.
    Achei muito legal seu novo hobby! E as coisas que você fez ficaram lindas! Quero ver uma foto do tapete quando ficar pronto!
    Eu aprendi a fazer crochê aos 15 anos mais ou menos, e fiz alguns guardanapinhos, com linha de crochê mesmo, mas faz muito tempo! Fiz até um conjuntinho de crochê pra dar de presente pra minha comadre, mas nada tão extraordinário.
    Ultimamente, meu hobby tem sido ler, tanto livros como blogs, pra ver se me inspiro em mais alguma coisa.
    Sua postagem me ajudou a perceber “de fora” como é quando alguém está nessa vibe mais pra baixo. Obrigada por compartilhar seus sentimentos e aprendizados!
    Beijo,
    Cássia

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Oi, Cássia!
    Espero muito que você esteja saindo (ou já tenha saído) dessa vibe!
    Mas se ainda estiver nela, não tem problema. É mesmo só uma fase e vai passar! <3

    Ler é maravilhoso e nos faz ampliar nossa visão do mundo em que vivemos e nos ajuda a compreender que existem outros mundos - fictícios ou até mundos dentro desse mesmo, mas que são diferentes dos nossos.

    Um beijo enorme,

    Cami

    [Responda]

  • Rafaela

    Em 17.05.2017

    Camila,

    Eu amei os cestos! Dei de presente de dia das mães pra minha mãe e pra minha sogra e elas adoraram! Parabéns pelo trabalho!

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Oiii, Rafa!!!! *___*
    Obrigada pelo apoio de sempre! <3

    Beijo enorme!!! <3

    [Responda]

  • Fernanda

    Em 17.05.2017

    Que legal!! A minha mãe fazia tricô e eu ficava em cima dela tentando aprender as técnicas. A primeira vez que peguei o tricô foi para fazer um cachecol. Só que o trem ficou todo torto! Depois daí, nunca mais tentei.

    Crochê deve ser mais fácil! Amei os seus cestinhos! Parabéns!

    Beijinhos

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Oie, Fernandaaa!!

    Quando eu era criança minha tia me ensinou um ponto de tricô – que só virava cachecol mesmo ahah – e eu era a louca do tricô, fazia até com palito de churrasco HAUHAUAHAH
    Mas nunca fui atrás de aprender mais nada.
    Achei crochê mais fácil, pq consegui fazer mais do que cachecol com ele! haha

    Beijoooo!! <3

    [Responda]

  • Marina

    Em 17.05.2017

    Comprei uma agulinha e umas linhas de crochê alguns meses atrás, mas estou usando as linhas pra fazer filtro dos sonhos hahaah’ Gosto de crochê e acho lindo, mas comecei a me dedicar a aprender violão, e gosto de me dedicar a aprender uma coisa por vez. Vou salvar suas indicações de canais pra quando voltar ao crochê, parece um hobby bastante terapeutico pra se praticar.

    Seus cestinhos ficaram lindos, parabéns!

    [Responda]

    Camila Martins

    Em 17.05.2017

    Oi, Marinaaa!
    Filtros dos Sonhos! *___* boa ideia, vou tentar fazer tbm!

    Aprendi a todas duas músicas do nirvana no violão, qndo era adolescente e ficava me achando! haha Nunca consegui aprender mais nada, acho lindo demais! Boa sorte nas aulas! <3

    Beijooooo!!!

    [Responda]