Subexplicado

Subexplicado

Livro: O Pequeno Prícipe – Edição Pop-Up

                   
Esse post não é uma resenha sobre a história do livro O Pequeno Príncipe, é um post sobre a edição Pop-Up, que a Editora Agir fez do livro.
O Pequeno Príncipe é um clássico. O livro preferido de muita gente. Não vou fazer uma resenha sobre a história, pois não acho que eu consiga. É um livro infantil, mas muito profundo, com muitas mensagens e alegorias que nos fazem pensar sobre a nossa vida.
Comprei essa edição MARAVILHOSA para dar de presente ao filho de um amigo muito querido, que faz aniversário no próximo Domingo. Claro que como obcecada por livros AND pelo Pequeno Príncipe, eu não poderia entregar antes de dar uma BOA olhada nessa obra de arte, né?

Já estou LOUCA por um igual, e logo providenciarei (rs). Quis fotografar pra mostrar à vocês também, já que nem sempre a gente consegue ir à uma livraria olhar pessoalmente. Infelizmente as fotos ficaram péssimas e se eu fosse fotografar de novo o post ia acabar não saindo.

Ele é grande, formato 29X20,5. Pra quem é amante da história, é fundamental ter na coleção.
Achei um vídeo no YouTube que mostra ele inteiro, cada página e cada um dos desenhos.
Então é isso. 🙂

Espero que tenham gostado. Um  beijo!

Minhas últimas leituras – 6 livros para ler nas férias
Troquei meus livros por um Kindle
5 livros de Terror para ler em Outubro (Mês do Horror)

Eu voltei!!!

Muito boa tarde, pessoal!!!

Como podem ver, pelo título e alegoria (rs) eu estou de volta!
Primeiramente, gostaria de me desculpar pelo sumiço, eu realmente tive um começo de ano bem conturbado e estou colocando tudo nos eixos. Adoro escrever, por isso eu insisto em continuar com o blog. Acredito que se não conseguirmos fazer as coisas que nos dão prazer, nossa vida não vale a pena, independente do que se faz, do quanto se ganha, temos que VIVER e nos permitir aquele momento de prazer do dia e o meu se dá lendo e escrevendo. Vou me esforçar mais para fazer o negócio andar por aqui!

O nome do blog mudou, assim como o layout. Eu me esforcei muito para fazer um layout bonito, limpo e original, mas não foi dessa vez :(. Por enquanto vou deixar assim, mas pretendo mudá-lo, quem sabe contratar alguém para fazer por mim, não sei.

Voltarei ainda hoje com um post novo, obrigada a quem visitou mesmo com o blog em decadência, as coisas vão melhorar!!! 🙂

Um beijo,

Crochê: aprendendo uma nova paixão
Troquei meus livros por um Kindle
(O dia em que eu não subi a) Pedra do Baú – São Bento do Sapucaí – SP

A Estrada da Noite

A Estrada da Noite, de Joe Hill, é um romance de terror; foi o livro de estréia do autor.
O que diz a sinopse:
Uma lenda do rock pesado, o cinqüentão Judas Coyne coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta. 
"Vou 'vender' o fantasma do meu padrasto pelo lance mais alto…"
Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Sempre às voltas com seus próprios fantasmas – o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu -, Jude não tem medo de encarar mais um.
Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora.
O espírito parece estar em todos os lugares, à espreita, balançando na mão cadavérica uma lâmina reluzente – verdadeira sentença de morte. O roqueiro logo descobre que o fantasma não entrou na sua vida por acaso e só sairá dela depois de se vingar. O morto é Craddock McDermott, o padrasto de uma fã que cometeu suicídio depois de ser abandonada por Jude. 
Numa corrida desesperada para salvar sua vida, Jude faz as malas e cai na estrada com sua jovem namorada gótica. Durante a perseguição implacável do fantasma, o astro do rock é obrigado a enfrentar seu passado em busca de uma saída para o futuro. As verdadeiras motivações de vivos e mortos vão se revelando pouco a pouco em A estrada da noite – e nada é exatamente o que parece.
 Título: A Estrada da Noite (Heart-Shaped Box – no original)
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
Edição: Econômica
Ano: 2007
Especificações: Brochura | 256 páginas
Judas é um roqueiro aposentado. Vive no subúrbio de Nova York com seus cachorros Angus e Bon, sua namorada gótica, Geórgia e o seus assistente, Danny.
Como um bom rockstar, ele tem suas peculiaridades e um delas é o gosto pelo sobrenatural. Ele tem uma pequena coleção de "artigos mórbidos" e quando o seu assistente o informa sobre o leilão do paletó assombrado por um fantasma, ele o arremata.
Quando o paletó do morto finalmente chega em sua casa, coisas estranhas começam a acontecer, cada dia com mais frequência e em maior intensidade.. O fantasma não foi parar lá por mero acaso, ele tem uma missão: vingar a vida da enteada, ex-namorada de Jude, que se suicidou depois de ser abandonada por ele. Dessa forma, a vida de Jude e de todos ao seu redor corre perigo, a alma penada não brinca em serviço!
Um livro absolutamente tenso! Joe Hill não enrola. O terror começa rápido e intensamente, sem frescura.
Os personagens são muito bem desenvolvidos e definidos. O jeitão do Jude, a forma como ele interage com os outros, a maneira como os seus sentimentos são colocados… Simplesmente adorei a construção do personagem, não tem como não gostar dele, mesmo com sua arrogância, indiferença. O crescimento que ele ganha ao longo do livro também é muito significativo e palpável.
A forma como o sobrenatural é apresentada também é interessante e atraente. Fantasmas que parecem reais e nos dão medo como se fossem.
Marybeth – a Geórgia (Jude apelida todas as namoradas com o nome do Estado onde nasceram) – é encantadora, a sua maneira. Adorei a forma como foi apresentada, como ela também cresceu ao longo da experiência, a forma como se entregou.
Joe surpreende, a cada página. Nada é o que parece, e as coisas vão aparecendo ao longo da história. É uma trama excitante e arrepiante. Me deu calafrios reais, sensações desagradáveis… Enfim, eu me impressiono com histórias de terror, não tem jeito!
Pra quem não sabe, Joe Hill é filho do Mestre Stephen King. Adoro o Stephen, mas já tem algum tempo que não leio nenhum livro dele, além disso eu não li A Estrada da Noite no original, em inglês, por isso não posso dizer se senti alguma influência na forma de escrever, descrever e contar a história… Mas posso dizer que adorei o livro, tanto quanto gosto dos de seu pai. Com certeza é uma excelente estréia!
Se você gosta de terror, não pode deixar de ler e conhecer o trabalho de Joe Hill, um autor que promete altas emoções para esse gênero!
Minhas últimas leituras – 6 livros para ler nas férias
Troquei meus livros por um Kindle
5 livros de Terror para ler em Outubro (Mês do Horror)

Bela Maldade

Hoje eu trouxe a resenha do livro Bela Maldade, da autora Rebecca James.
O que diz a sinopse:
Um segredo devastador. Uma vida destruída. Uma nova amiga que ajuda a esquecer. E se ela não for quem aparenta? Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. 
Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade. No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel. Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada… 
Título: Bela Maldade (Beautiful Malice – no original)
Autor: Rebecca James
Editora: Intrínseca
Edição: 1
Ano: 2011
Especificações: Brochura | 302 páginas
O livro conta a história de Katherine. que depois de sofrer um trauma familiar mudou de cidade, de escola e deixou de ser a garota divertida e cheia de vida para se fechar em um casulo com suas dores, fantasmas, arrependimentos e angústia.
Ela chama a atenção de Alice, a garota mais popular da escola. As duas acabam se tornando inseparáveis e grandes amigas e Katherine começa a se soltar e voltar a ser feliz ao mesmo tempo em que sente que não merece a felicidade que tem.
A história vai se desenrolando em meio aos flashbacks em que descobrimos o que houve com a família de Katherine (e porque ela se sente tão culpada), a história da sua amizade com a Alice e flashforwards, da vida de Katherine sem a amiga.
Alice, desde o começo se mostra uma pessoa instável, arrogante e imatura, mas a nossa protagonista está tão ávida por ser feliz de novo e se livrar da culpa que sente, que se deixa levar – mas felizmente, não por muito tempo. Conforme ela vai percebendo e se afastando da Alice, o livro vai melhorando, apresentando personagens mais agradáveis, nos deixa curiosos com os spoilers que são lançados nos trechos do "futuro"… Enfim, eu considerei um livro de suspense leve, fluido.
Achei a história parecida com o filme "Colega de Quarto", apesar de não ser idêntica eu não consegui nem mesmo pensar na aparência dos personagens de outra forma. Procurei na internet e não encontrei nenhuma ligação. De qualquer forma, o livro foi lançado antes do filme, pode ter havido alguma inspiração.
É um Young Adult mais maduro, mas não deixa de ser um. Gostei bastante, apesar de ter achado o final um tanto quanto besta (esperava beeem mais emoção no desfecho da história da Alice), foi um livro 3 estrelas
Espero que gostem e recomendo que leiam o livro. É uma história gostosa com pontos altos.
Um beijo,
Minhas últimas leituras – 6 livros para ler nas férias
Troquei meus livros por um Kindle
5 livros de Terror para ler em Outubro (Mês do Horror)

Tour Nestlé Chocolover

Fábrica de Chocolates Nestlé (Fonte:  Galeria da Arquitetura)
Olá, pessoal! Tudo bem???
No último sábado fui visitar a Fábrica de Chocolates da Nestlé, que fica super perto de casa, em Caçapava – SP.

Faz muito tempo que quero conhecer, mas acabava que nunca me informava… Aí no fim do ano passado tomei a decisão! (rss) Entrei no site e agendei. Agora vou contar um pouco pra vocês sobre como foi e o que tem por lá!

Como não pode tirar fotos ao longo do passeio, vou colocar fotos que encontrei na internet, para ilustrar o post e também pra matar a curiosidade… No final coloco as fotos que tirei na Lojinha de Chocolates, que estão ruins pois tirei com o celular.
 
Túnel vermelho para entrar na fábrica – com cheiro de chocolate! (Fonte: Galeria da Arquitetura)
Quando chegamos, fomos até a recepção. Lá fomos atendidos por uma moça muito educada – que foi a nossa Guia no passeio – e preenchemos um formulário, pagamos a taxa de visita, no valor de R$10,00, recebemos uma chave para o armário onde devemos guardar bolsas, celulares ou outros objetos, e podemos nos sentar em bancos que lembram tabletes de chocolate… Lá tem uma taça grande, cheia de Kit Kats em miniatura (parece mini-bis só que MUITO melhor) e eu comi vários!
Assistimos um vídeo que faz uma pequena introdução sobre a Nestlé e sua história com o chocolate e informa as regras para a realização do tour:
– Não pode entrar de chinelo, regata ou short;
– Não pode comer nada ao longo da visitação;
– Não pode tirar fotos ou filmar.

E Então a Guia nos leva para o tão esperado passeio.
Sou apaixonada por arquitetura e esse túnel de vidro com película vermelha já fez o passeio valer a pena! (rs) E o cheiro de chocolate? DE-LÍ-CI-A!!!
Floresta de Cacau (Fonte:  Galeria da Arquitetura)

Entramos em uma sala decorada com fotos de uma plantação de cacau e som ambiente de floresta… Super legal!

Sala do Alpino (Fonte:  Galeria da Arquitetura)
Então vamos passando por várias salas, com temática dos maiores sucessos da marca, por ordem cronológica. O alpino foi o primeiro chocolate lançado pela Nestlé!
Corredor dos chocolates recheados: a janela mostra a linha de fabricação do Prestígio, Smash, Charge, Lolo e Choquito (Fonte:  Galeria da Arquitetura)
A experiência toda é muito legal! Quem nunca quis visitar uma fábrica de chocolate? Eu sempre tive vontade! Lógico que para as crianças que assistiram "A Fantástica Fábrica de Chocolates" deve ser um tanto quanto decepcionante, já que é tudo muito diferente, mas tenho certeza que até eles se encantam com tanto chocolate e o ambiente lúdico que a Nestlé criou.
Lojinha de Chocolates
No final da visita, a gente pode ir até a Lojinha Nestlé Chocolover. É um paraíso! Lá tem muita coisa legal bem mais barato do que no mercado!
Saldo da visita: Muitos chocolates e mais calorias ainda!

Tem até alguns dos chocolates à granel, não todos (infelizmente) mas dá pra fazer um estrago na dieta (rss).

Como já falei antes, a Fábrica fica em Caçapava – SP, na Av. Henry Nestlé, número 1800 – marginal da Rodovida Presidente Dutra.

Antes de sair correndo para lá, agende a visita aqui. Para entrar custa R$10,00 – para o pagamento da entrada aceita somente dinheiro.
No final da visita, você ganha um saquinho recheado de chocolate – por pessoa – que já vale o ingresso.
Espero que tenham gostado, se tiver oportunidade de fazer o tour, aproveite, é realmente muito gostoso!
Amantikir Garden – Campos do Jordão – SP
(O dia em que eu não subi a) Pedra do Baú – São Bento do Sapucaí – SP
SOS Cupcakes – São Paulo / SP

Resenha: Perdão, Leonard Peacock

Hoje eu trouxe para o blog a minha primeira resenha sobre livros.
O livro que escolhi foi "Perdão, Leonard Peacok" do Matthew Quick. Foi o primeiro livro que li esse ano e gostei muito.
O que diz a sinopse:

Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes, ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele, e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.

Título: Perdão, Leonard Peacock (Forgive me, Leonard Peacock – no original)
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Edição: 1
Ano: 2013
Especificações: Brochura | 224 páginas
A história se desenrola em torno do aniversário de 18 anos do Leonard. Ele decide dar um fim à sua vida – que ele considera miserável – no mesmo dia em que ela começou.
É uma trama bem densa, já que se trata de suicídio e portanto, uma mente perturbada e infeliz, mas foi uma leitura muito fluida.
O livro todo se passa em um dia, porém, contém alguns flashforwards e lembranças de infância.
Ao longo da leitura, ficamos sabendo os motivos para o Leonard ser tão infeliz, conhecemos as pessoas mais importantes da sua vida, para quem ele entregará presentes e descobrimos o motivo para ele querer matar seu ex-melhor amigo e o que ele fez para ser ex.
Não é um livro depressivo, apesar de tratar sobre depressão. É uma leitura carregada de emoção e que nos leva a algumas reflexões sobre a nossa própria vida. Nos faz pensar sobre as nossas escolhas e sobre nossa felicidade (que muitas vezes baseamos em conquistas determinadas pela sociedade e não pelos nossos sentimentos).
 Um personagem que me chamou muito a atenção (além, obviamente, do Leonard) foi o Herr Silverman. Apesar de sabermos dele apenas o que o Leonard nos revela ou o que ele mostra ao longo dos diálogos entre os dois, é um personagem muito bem definido. Tem padrões elevados, não se abala com a resposta dos outros às suas ações e é digno de admiração. Com certeza todos os seus conselhos para o Leonard são pontos fortes do livro.
Uma coisa que eu surpreendentemente gostei muito foram as notas de rodapé. Como são extensas, quando bati o olho eu não gostei, já que sempre acabo perdendo o fio da meada. Mas elas são um complemente muito bem vindo, pois nos ajudam a compreender toda a complexidade dos sentimentos do Leonard, entender o que realmente se passa em sua vida para que ele tenha encontrado uma saída tão extrema.
É um livro que indico, se você gosta de tramas mais complexas e drama. Pra mim, que não gostei de O Lado Bom da Vida, foi uma surpresa boa.
 Espero que vocês gostem da resenha e que eu não tenha me perdido ao longo dela.
Um beijo,
Minhas últimas leituras – 6 livros para ler nas férias
Troquei meus livros por um Kindle
5 livros de Terror para ler em Outubro (Mês do Horror)
Página 30 de 31
«1 ...262728293031››